Fale com a Nutricionista

|||

comida-saudavel-fake

Hoje é Dia da Mentira. Pois é. E tem alimento mentindo pra você, se fazendo de saudável quando, na verdade, não é nada do que promete.

Pois é, parece, mas não é! O bordão da propaganda antiga (alguém se lembra do shampoo Denorex?) vale para alguns alimentos, equivocadamente considerados saudáveis pelo senso comum e pela imprensa. Mas eles são realmente saudáveis? A resposta é não!

Sobre esse assunto, dia desses li uma matéria super bem feita da Revista Crescer. Ela lista quais são esses alimentos falsamente saudáveis e mais, explica porque eles são nocivos à saúde. É pra ler e fazer uma listinha negra (brinks, hein gente?). Nos itens que julguei necessário, fiz meus comentários.

(Ah, de quebra ela derruba o tabu de uma listinha de outros ALIMENTOS que, sim, fazem bem!) Observe que os legais são sempre os ALIMENTOS DE VERDADE! Então para não errar sempre vale a velha regrinha: ALIMENTO DE VERDADE = SIM / produto alimentício = NÃO!

Beijinhos, Carol!

1 – Barrinha de cereais
Elas prometem ser uma ótima opção para o lanche das crianças porque são práticas de armazenar e contêm fibras – nutrientes que aumentam a sensação de saciedade, dão energia e ajudam no funcionamento do intestino e na absorção de gorduras. Pelo menos na teoria. Especialistas alertam que muitas das barrinhas de cereais que existem no mercado são, na verdade, ricas em açúcar e sódio. Para saber se a que você compra é assim, compare os ingredientes que estão no rótulo. O que vem primeiro é o que está em maior quantidade, então procure marcas em que a fibra esteja no começo da lista. Prefira as de fruta, que são menos gordurosas, e as que contêm flocos de milho, mel, aveia e castanhas. “Também fique de olho porque a lecitina de soja, substância usada para dar liga no alimento, pode causar alergia nas crianças”, alerta a nutricionista Elaine Pádua, autora do livro O Que Tem no Prato do Seu Filho? – Um Guia Prático de Nutrição Para os Pais (Ed. Alles Trade). Você pode fazer uma barrinha mais natural em casa ou substituí-la pela bananada (doce de banana em massa) sem açúcar, que também tem fibra e mais vitaminas. Nesse caso, a banana não é desidratada, como na barrinha, mantendo seus nutrientes.

Olha uma sugestão MARA de lanche saudável feita com maçã e castanhas no lugar da terrível (hohohoho) barrinha de cereal!

2 – Suco de caixinha
Algumas dessas bebidas, também chamadas de néctar de fruta, têm tanto quanto ou até mais açúcar do que os refrigerantes. São até duas colheres de sopa a cada 200 ml, além de uma quantidade grande de sódio, substância que, em excesso, pode sobrecarregar os rins e aumentar as chances de a criança ter pressão alta no futuro. Os corantes e aromas também aparecem no suco de caixinha (inclusive nos de soja), ou seja, mais química ainda. A saída é alterná-lo com o suco natural (ou água mesmo!). Você pode dar o industrializado no lanche, por exemplo, e o caseiro, no jantar. Na lancheira térmica, o suco natural dura até três horas sem estragar. Para aumentar a duração da bebida, misture-a com água de coco, que retarda o processo de oxidação, é um hidratante natural e não tem muito sódio nem na versão das prateleiras. Outra alternativa são os sucos prontos integrais, que não têm açúcar e só precisam ser dissolvidos em água. Mas não abuse. Qualquer tipo de suco deve ser consumido no máximo duas vezes ao dia, pois são calóricos – pense que, para fazer apenas um copo do de laranja, é preciso três frutas!

O mais importante não são as calorias, mas a quantidade de frutose e a carga glicêmica, por conta da ausência das fibras que equilibram tudo na fruta inteira. Clica aqui para saber mais sobre os sucos de caixinha e muito mais, ó!

3 – Peito de peru
Apesar de ser visto como uma alternativa melhor do que o presunto, os dois têm a mesma quantidade de sódio e gordura porque são uma mistura de carne e pele (eca!) do animal. Para conservar o produto, as indústrias usam nitritos e nitratos, substâncias químicas que, segundo algumas pesquisas, podem causar câncer se consumidas por muito tempo. Por isso, libere esses alimentos embutidos ou processados (e, nessa categoria, entra também a salsicha e a mortadela) apenas uma vez por semana, de preferência a versão sem capa de gordura.

Eu acho que não tem que liberar nunca. Faz mal, gente. Ou então vai liberar cerveja se seu filho pedir também?! Hellooo!

4 – Sobremesa láctea
As sobremesas lácteas (como o queijo petit suisse ou aquelas sabor chocolate, baunilha…), fazem sucesso com as crianças porque são bem docinhas e saborosas. Mas não se engane pela aparência de iogurte, pois elas têm bem menos quantidade de cálcio – um mineral essencial para o crescimento e fortalecimento dos ossos, dentes e cabelos. Além disso, esses produtos são gordurosos e têm pouca proteína. “No lugar da fruta, mais nutritiva, muitos contêm aromas e corantes artificiais, que devem ser evitados nos primeiros anos de vida pois estão relacionados a uma série de problemas – de alergia à hiperatividade”, afirma Elaine Pádua. Ela explica que os corantes amarelos e vermelhos são os mais perigosos. É claro que seu filho vai querer comer essas guloseimas de vez em quando. Porém, sempre que possível, substitua por uma mistura de iogurte natural com a fruta que ele mais gosta. Basta bater essa combinação no liquidificador ou amassá-la com um garfo. Se o seu filho quiser algo mais doce, coloque açúcar mascavo. Essa preparação deve ser consumida entre 30 minutos e 1 hora.

Já sabemos que leite e derivados não são as fontes mais inteligentes de cálcio.

5 – Leite de soja
A soja é classificada como um alimento saudável, mas nem sempre é uma boa ideia oferecê-la para as crianças. Isso porque pode ser tão alergênica quanto a lactose, presente no leite de vaca. “A soja é uma proteína de difícil digestão, por isso, pode causar alergias alimentares em crianças menores de dois anos, que têm um sistema digestivo imaturo”, afirma a nutricionista Santhi Karavias, do projeto Lancheira Saudável, em São Paulo. Alguns especialistas até questionam o nome “leite”, já que ele não oferece os mesmos nutrientes, como os aminoácidos e o cálcio. Se o seu filho tem intolerância à lactose, você já encontra bebidas com adição de cálcio. Também vale substituir por leite de arroz, amêndoa e de cabra.

6 – Bisnaguinha
Ela é molinha e fofinha graças a muuuita gordura hidrogenada! Esse tipo de pão é feito de farinha branca e açúcar, ou seja, tem poucos nutrientes e nada de fibras. Não faz mal oferecê-lo uma vez por semana, mas, nos outros dias, opte pela versão integral ou de fôrma, recheando com requeijão ou até geleia, contanto que seja sem açúcar. Os pães de padaria ou feitos em casa, naquelas panificadoras portáteis, também são ótimos substitutos, pois têm menos conservantes. Outra opção rápida e saudável: minipizza de pão sírio! Chame seu filho para ajudar você a montar essa delícia com muçarela de búfala, queijo prato ou queijo branco, tomate – pode ser o cereja, que as crianças adoram – e algumas folhinhas de manjericão fresco. Aí, é só colocar no forno em fogo baixo por 15 minutos e se deliciar.

Clica aqui para descobrir alternativas de lanche saudável para crianças. Elas vão muito além do pão. Aliás, se a vontade do pão for muita, aqui tem uma receita de um pão super do bem.

7 – Frozen yogurt
Eles parecem saudáveis por conta do iogurte, que tem pouca gordura e é fonte de cálcio. Realmente são uma boa opção, mas só se a marca de frozen usar iogurte de verdade em sua formulação. “Esse ingrediente é bom porque é natural e não tem aromatizante”, explica Santhi Karavias, do projeto Lancheira Saudável (SP). Em 2011, o Proteste analisou oito lojas e constatou que apenas uma usava mesmo a bebida láctea, enquanto as outras misturavam sorvete comum ou à base de iogurte. “Esses últimos têm gordura saturada e trans, que aumentam o colesterol ruim e ainda diminuem o bom”, completa Santhi. Para se proteger dos “falsos”, analise o rótulo (quando tiver) e pergunte a porcentagem de gordura (quanto mais próxima de zero, melhor). Ah, e controle as coberturas escolhidas pelo seu filho, que costumam ser uma bomba calórica.

Esquece o frozen yogurt. O shake de amor é o que há, ou o sorvete de banana!

8 – Cereal matinal
Já reparou no que sobra no saquinho quando acaba o cereal do seu filho? Açúcar puro. Pode ser uma boa fonte de energia, já que cada grão do cereal é um grão de milho, mas só. “É possível conseguir a mesma quantidade de carboidratos em outros alimentos, como pão integral e mingau”, explica a nutricionista Priscila Maximino, da Nutrociência, que presta assessoria nutricional, em São Paulo. Há, no entanto, opções sem açúcar (em geral, destinadas aos adultos). Você pode adicionar uma fruta, como banana ou morango, para deixar a mistura mais docinha. Depois que seu filho tiver um ano, também dá para usar mel. Se quiser usar açúcar mesmo, prefira o cristal (uma colher de chá basta), que é menos processado do que o refinado.

Nao indico light e diet nunca jamais em tempo algum. Nem pra criança, nem pra adulto. “Alimento que nem gente é bom integral e não reduzido ou com aditivo”. Se liga nessa! Ah, no lugar do cereal matinal, que tal um mingau de aveia de verdade que explico direitinho como fazer nesse post aqui?

9 – Empanados de frango
Parece carne de frango, mas o empanado é o que os nutricionistas chamam de compensado, uma mistura de ingredientes nada nutritivos, como partes de frango, pele, farinha e leite em pó. Então, mesmo que você faça assado em vez de frito, ele não é saudável. Para piorar, o que dá gosto à mistura é o glutamato monossódico. “A substância realça o sabor e interfere no paladar da criança, deixando a papila gustativa acostumada a esse tipo de alimento”, conta a nutricionista funcional Gabriela Maia, do Rio de Janeiro. Muitas vezes o empanado industrializado é usado como substituto da carne de boi ou de frango, que são proteínas completas. Só que eles não são equivalentes. Uma opção é fazê-lo em casa. Não tem tempo? Então, para suprir a quantidade de proteínas da carne, que tal cozinhar cerca de quatro ovos de codorna? O preparo vai levar os mesmos cinco a dez minutos.

Que tal oferecer um peito de frango caseiro para o seu filho. Basta clicar aqui para saber como preparar.

10 – Produtos light e diet
Se você tinha a impressão de que poderia consumi-los sem restrições, esqueça! Para crianças, os diet e os light são indicados apenas em casos de doenças como obesidade e diabetes. Achar que eles podem ser servidos à vontade, já que têm menos açúcar e gordura, é um erro. “Isso porque o fabricante adiciona sódio para manter o sabor. Então, melhor ingerir uma quantidade menor da versão tradicional do que o dobro da light”, orienta Virginia Weffort, nutróloga do Departamento Científico de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). E a criança precisa de energia para crescer, então não é indicado tirar totalmente o açúcar da dieta – lembrando que ele é encontrado em vários alimentos, como frutas e massas.

Eles são saudáveis, quem diria!

Atum enlatado
A versão conservada em água em vez de óleo é fonte de ômega 3 e tem gordura boa. Bom substituto para os embutidos.

Legumes congelados
São práticos e têm boa conservação de nutrientes e fibras. O congelamento faz com que percam apenas um pouco de vitamina C.

Pipoca
É rica em fibras e substâncias antioxidantes, que podem prevenir até câncer. Mas preste atenção no preparo: de micro-ondas não vale. Faça na panela com um fio de óleo vegetal. E não exagere no sal!

Azeite!

Pipoca é saudável, sim!

65 Comentários

  1. Ludmila Marinho disse:

    Oi, Carol! Achei interessante e que serve como alerta aos mais leigos no assunto. Mas também achei os argumentos fracos e batendo sempre na mesma tecla de rico ou pobre em gordura. Absurdo maior, na minha opinião, foi: “Porém, SEMPRE QUE POSSÍVEL, substitua por uma mistura de iogurte natural com a fruta que ele mais gosta”??? (não seria o contrário?), em relação a substituição das sobremesas lácteas. Entre outros argumentos inconsistentes e que você já comentou.
    O lado bom da matéria é o início da divulgação de que esses produtos, oferecidos em escolas e RECOMENDADOS por “NUTRICIONISTAS”, fazem mal tanto para adultos quanto para crianças e deveriam ser consumidos no máximo eventualmente (o que considero uma festa – não de crianças – uma reunião etc.) e não semanalmente, ou duas vezes ao dia como é recomendado em relação aos sucos (mesmo naturais) na matéria. Um beijo e valeu!

    • Carol Morais disse:

      Ludmila,
      clap clap clap. Demais seu comentário. Eu gostei da matéria exatamente porque pela primeira vez começam a alertar sobre esses alimentos. Mas concordo com vc que os argumentos poderiam ser melhores e não apenas relacionados ao teor de gordura. Afinal, sabemos que GORDURA (BOA) É INDISPENSÁVEL PARA NOSSA SAÚDE, neah? Concordo com vc em tudinhooooo! Fora essas bebidas lacteas e nada de ficar oferecendo essas comidas como se fosse lazer. Comida não é lazer neah? Temos que parar de fazer essa associação, especialmente para nossas crianças. Muuuuito obrigada pelo comentário / complemento perfeito pro post. BJinhos, Carol

  2. Paula Pereira disse:

    Vi que estou fazendo muita coisa errada!!!
    Meu filho ama bisnaguinha, e acabo comprando toda semana para ele. Vou tentar ir trocando com outros pães até ele se acostumar.
    Acabo comprando sempre também esses danones de bandeja com 6, de várias marcas, sei que também não é legal, e o cereal que ele adora é o nescau, mas as vezes acaba comendo a minha granola também.
    Nesse caso os iogurtes (mesmo esses de sabor mel, cenoura e etc) são melhores (ou menos piores) que esses de bandeja com 6 unidades?

    Abraços

    • Carol Morais disse:

      Paula, na verdade é preciso avaliar a vontade x a necessidade de alguns alimentos, como é o caso dessas bebidas lacteas. O seu filho ainda está formando o paladar, ofereça sim a sua granola, afinal criança adora imitar adulto e é nessa hora, mesmo sem dizer nada que vc garante um futuro (e um presente) mais saudável e tranquilo para ele. Tudo o que for mais simples, mais puro e natural, é mais saudável… Nem o leite é leite de verdade mais. bjinhos,
      Carol

    • Sofia disse:

      Paula, por que vc não faz iogurte em casa? Vc só precisa de um fermentinho de iogurte (eu uso o Bio Rich, é um mix de bactérias e lactobacilos), 1l de leite, uma jarra ou pote de vidro c/ tampa e uma bolsa térmica! As instruções vêm na embalagem, ele fica bem mais suave que os iogurtes naturais de mercado (que são super azedos), e vc pode misturar com frutas fresquinhas e naturais pra vc e seu filho. Esses iogurtes de mercado, além de geralmente sequer terem fruta na composição, muitas vezes nem “iogurte” são porque não têm as bactérias boas, só ficam com aquela textura e sabor por conta de espessantes, açúcares, adoçantes…

  3. Dani disse:

    Olá, gostaria de saber qual é a loja/marca que oferece frozen yogurt feito realmente feito à base de iogurte, conforme mencionado no post.

    • Carol Morais disse:

      Olá Daniela, eu não recomendo o frozen iogurte, na verdade apenas transcrevi a matéria, com algumas observações. Tanto que sugeri, no lugar desse frozen o sorvete de banana que tem a receita no blog, e é só a fruta. bjinhos, Carol

  4. Natália Puga disse:

    Como sempre, ótimo post!
    Confesso que antigamente achava que me alimentava hiper bem com meu cereal com leite pela manhã, barrinha no lanche, suco de caixinha no trabalho… mas depois que passei a me interessar por nutriçaoe a conhecer melhor alimentos fiquei surpresa com o quanto que a mídia pode mexer com as nossas cabeças e colocar várioas alimentos como “amigos” quando na verdade eles são tudo menos isso…

    Ah, no post você comenta que leite e derivados não são a melhor fonte de cálcio. O que você indica como subsituição? Não me lembro de um post do tipo!
    Bjs!

    • Carol Morais disse:

      OI Natália, uma alimentação rica em vegetais e frutas, por ser alcalinizante, evita a saída de cálcio dos ossos e garante uma ingestão maior de magnésio, que também é importantisimoooo para a construção óssea. Além da vitamina D = sol!!! O gergelim é uma ótima fonte de cálcio. bjos

  5. Nivea Nunes disse:

    Nossa, quando vi a foto de pipoca no facebook eu logo corri para ler seu artigo!!! Graças a Deus que pipoca é do bem, porque eu a amo muito! hahahaha… Obrigada pelos esclarecimentos, agorinha mesmo eu tinha decidido parar de beber suco de caixinha!!!! Bjos

  6. Sâmia disse:

    Carol e o polenguinho e ovos ( omelete, ovo mexido) são boas opçoes para crianças?

  7. Zaira disse:

    Carol, o que você acha da tapioca (com um queijinho branco) como um substituto pro pão? Troco 6 por meia dúzia?

    obrigada!

  8. Aliny Morais disse:

    Carol,
    Parabéns pelo trabalho, tenho aprendido muito com você!!!
    Gostaria de saber se o óleo de canola faz mal? E qual o substituto ideal além do azeite?

    Bjs

    • Carol Morais disse:

      Olá Aliny,
      eu não recomendo o óleo de canola. Utilizo azeite de oliva, óleo de coco e Ghee (que é a manteiga de leite clarificada). bjos

      • Aliny Morais disse:

        Obrigada!!! bjs

      • Tamara disse:

        Você recomenda o óleo de coco mesmo sendo rico em gordura saturada?

        • Carol Morais disse:

          Tamara, essa gordura do coco, assim como a do abacate e das castanhas,é maravilhosa para o nosso organismo. Ajuda a regular um monte de reações metabólicas, é gordura do bem, bjinhos, Carol

      • Juliana disse:

        O azeite quando aquecido na panela perde suas propriedades e, além disso, torna-se saturado. Para a pipoca acho que o melhor é o óleo de soja.

        • Carol Morais disse:

          Oi Juliana, eu não utilizo, nem recomendo derivados da soja, com exceção ao tofu, missô e o shoyo fermentado naturalmente. O azeite realmente perde um pouco das suas propriedades, mas a temperatura não é suficiente para que ele atinja o ponto de fumaça, isso só ocorre se vc for fritar em imersão por muito tempo. Gosto de utilizar para fazer pipoca o óleo de coco, que tem um ponto de fumaça mais alto que o azeite e ainda dá um gostinho. bjos, Carol

  9. fernanda disse:

    te amo carolina, apenas isso.

  10. Jane Mary disse:

    Amo seus posts,e o assunto alimentação me interessa muito,estou pensando muito em fazer nutrição.

  11. Dani disse:

    Sinceramente, não entendi o porquê da recusa em dar a informação solicitada. Não é porque não recomenda o consumo de um alimento que ele vai deixar de existir.
    Pesquisando na internet já descobri qual é a marca de frozen yogurt.
    É por causa de gente xiita como você que muitas pessoas não querem nem ouvir falar de nutricionista, pois já vêem pela frente um período de sacrifícios e provações. Repense seus conceitos.

    • Isabella disse:

      Prezada Dani, acho que você não entendeu a resposta da Carol, ela não falou a marca do frozen porque, simplesmente, ela não sabe! Ela transcreveu (na íntegra) a reportagem da revista Crescer, e apenas emitiu sua opinião nas partes em negrito.
      Além do mais, a filosofia da Carol é a mais fácil e simples do mundo: ela recomenda alimentos e não produtos alimentícios.
      Ademais, tenha certeza que não há nenhum sacrifício na dieta dela, já que tudo que ela faz é delicioso, saborozíssimo (o macarrão é abobrinha com molho de tomate e de comer rezando!).
      Quanto à restrição, tudo uma questão de escolha e equilíbrio, se você sente bem e está feliz com suas escolhas e sua saúde, maravilha, mas eu lhe garanto que as escolhas dela fazem um bem danado a saúde física e mental.
      Por fim, sinto lhe dizer que é por causa de pessoas tão estudiosas, sensatas e equilibradas como a Carol, que a minha visão sobre comidas e alimentos mudou completamente (para muito melhor!). Ah se todas as nutricionistas fossem igual a ela… Todo mundo ia querer ter uma casa.

  12. Carol Aguiar disse:

    Carol, queria te elogiar pelo excelente trabalho que você faz! Adoro comida mais saudável e com os seus post tenho conseguido esclarecer muitas dúvidas que eu tinha e tenho! Muito obrigada pela contribuição. Bjos Carol.

  13. Analu disse:

    Carol, em relação aos sucos poderia me esclarecer qual a diferença nutricional entre suco integral, suco concentrado e polpa congelada? Em relação ao leite (você disse nos comentários que leite já não é leite de verdade), sua critica é em relação ao longa vida? Sendo assim qual a solução? O leite de saquinho, iogurte de saquinho, daqueles que tomávamos na infância, são mais recomendados?
    Parabéns pelo excelente trabalho!

    beijos agradecidos
    Analu

    • Carol Morais disse:

      Oi Analu,
      o suco integral, ou seja, o menos processado de todos eles, teoricamente seria o mais nutritivo, pois teria mais chances de manter os nutrientes. Infelizmente não podemos afirmar porque cada processamento é de um jeito. O melhor mesmo é consumir a fruta, ou fazer em casa o suco sem coar. Com relação ao leite, todos de maneira geral, pasteurizados. O ideal seria leite direto da vaca, o que é quase impossível hoje em dia. Mas hoje já se questiona inclusive a necessidade do consumo diário de leite, especialmente de outro animal, especialmente depois de adultos. Já viu boi mamando? rsrsrs bjinhos, Carol

  14. Juliana disse:

    Olá Carol quero mtoooo esclarecer uma dúvida. Eu bebo mto suco de soja (Ades maça) uns dois copos de 400 ml por dia, ele tem alguma contra indicação, faz bem ou mal??

    • Carol Morais disse:

      Oi Juliana, a soja, possui um alto potencial alergenico, por possuir proteinas não digeríveis, e pode sim fazer mal a algumas pessoas quando consumida diariamente por longos períodos. Se esse é o seu caso, aconselho que procure um nutricionista funcional para lhe auxiliar a identificar possíveis sintomas. bjinhos, Carol

  15. Giovanna disse:

    Olá Carol! Como sempre eu adorei o post! Mas voltei a ficar com uma dúvida antiga, você pode me ajudar? Considerando tudo o que foi falado do peito de peru e do presunto, o que você recomendaria como proteína a ser utilizada nos lanches juntamente com um pão integral, para uma pessoa que evita a lactose?
    Não tenho intolerância a lactose, mas evito pois acho que agrava a minha rinite e me deixa mais vulnerável a resfriados e tudo mais.

    Obrigada desde já,

  16. Giovanna disse:

    Muito obrigada pela resposta! Bjos!

  17. Mariana Gondim disse:

    Carol, parabéns pelo seu trabalho. Acompanho o blog sempre e adoro os posts… Tenho aprendido muito! Uma pena você não atender em consultório, queria ser sua paciente :)
    Beijos e sucesso

  18. Leonardo Rodrigues disse:

    era um bom dia pra ter falado desse povo que anda deixando de comer comida de verdade pra se entupir de pós que o povo anda vendendo como ‘saudável’ por ai hein :)

  19. Laura Coelho disse:

    Estou acompanhando seu trabalho e adorando, mandei um e-mail e não obtive resposta tem algum outro para contato? É sobre a oficina detox, tenho muito interesse. Aguardo retorno. Att. Laura

  20. Sofi disse:

    Carol, sobre a parte dos q são saudáveis me veio uma dúvida:

    Sempre leio que é melhor a gente fazer os caldos de legumes e molhos (de tomate por exemplo) em casa do que comprar e li que se pode congelar. Na linha dos legumes congelados: a gente congelando o caldo e o molho, eles mantém as propriedades nutricionais?

    Obrigada, adoro o blog!

  21. amil lex disse:

    to ferrado!!

    parabéns pela materia carol

    abs!!

  22. Livia disse:

    ué… jurava que tinha comentado aqui na semana passada… sao moderados os comentários? você excluiu? eu pedi uma opinião sobre o polenguinho light… se puder me ajudar, agradeço!
    Obrigada,
    Lívia

  23. Anne disse:

    Oi Carol!

    Gosto muito do seu blog e sempre venho aqui ler o que você escreve: muita coisa do que li aqui me faz repensar como encaro a alimentação e tem me ajudado a promover mudanças na forma de me alimentar. Tenho preferido comer alimentos a produtos, mas ainda não consigo me livrar de alguns tipo o peito de peru. :(

    O que você recomenda para substituir essa proteína? Eu penso em ovo, mas comer ovos todos os dias é okay? Já li uns 15 estudos que dizem de tudo sobre ovos…

    Gosto muito do seu blog e agradeço que você compartilhe conosco um pouquinho do seu conhecimento!

    Beijos e sucesso!

    • Carol Morais disse:

      Oi, Anne. Que fofa! Obrigada pelo carinho. Quanto à substituição, isso depender muito do seu histórico e individualidade, por isso o mais legal é ter um nutricionista funcional te ajudando nesse processo. bjinhos

  24. Patricia disse:

    Olá Carol, parabéns pelo site. Estou adorando seus posts. Gostei muito da sua matéria.

  25. Valéria disse:

    Parabéns pelo site, belo trabalho!
    Uma pergunta,
    Carol: o milho transgénico em todo o mundo está sendo condenado, e nosso país está consumindo praticamente só dele…E como fica a pipoca nesse lance?
    Abraços.

  26. Cacilda disse:

    Carol,
    Tem uma marca beemmm conhecida de atum enlatado que está usando um monte de porcarias na conserva do atum em água, que antes era água e sal. Dá até medo.
    Sorte que ainda tem marca usando água e sal.
    Tem que ler o rótulo.
    Um abraço,
    Cacilda

  27. Fabíola Carvalho disse:

    Olá! Estou emagrecendo e consumo produtos diet, sempre pensei que apenas analisando as calorias poderias consumir a vontade, fiquei impressionada com o seu comentário, já tem tempo que observo que todos os produtos diet que consumo contém “maltodextrina”, o que é isso? Faz mal?

  28. Sandra disse:

    Oi Carol, é melhor atum em água ou oleo??

    obrigada

  29. Alda Morais disse:

    Carol adorei o texto, além de esclarecer você já informou opções mais saudáveis.

  30. Carol disse:

    adorei saber da pipoca *–* é até um alivio porque eu comia e me sentia com a consciência pesada. Detalhe sempre comi sem sal ♥

  31. Daniel disse:

    Não estou querendo trolar aqui, mas há outros alimentos que daria pra dizer: ‘eles são saudáveis, quem diria!’. Lá vai a lista:
    Manteiga;
    Bacon (metade da gordura é monoinsaturada);
    Ovos inteiros (com gema);
    Carne vermelha;
    Torresmo (contanto que não seja frito em óleo vegetal);
    Queijos;
    Até embutidos (que não seja esses industrializados por causa dos inúmeros aditivos que possuem).

    Quem visitar os sites do Dr Souto e o Emagrecer de vez saberão muito bem do que eu estou falando.
    Há vários estudos mostrando que isso de gordura saturadas fazer mal a saúde não passa de uma falácia! Gorduras realmente nocivas são os óleos vegetais industrializados (canola, milho, girassol, etc…), as hidrogenadas também.
    O que pode estar por traz dos problemas no coração na verdade são os carboidratos de má qualidade (os refinados, tanto é que faz muito sentido da carol ter dito em outra página deste site que quanto mais branco for o pão, mas cedo vc vai pro caixão).

Deixe uma resposta


Política de Privacidade 2013 - Todos os direitos reservados © Fale com a nutricionista por Carol Morais