All Posts By

Carol Morais

colher-de-pau
Dicas, Faz bem ou faz mal

Manifesto Colher de Pau: comida é patrimônio

Em tempos em que os nossos produtos agrícolas são impregnados de agrotóxicos (que, diga-se de passagem, já não são usados em centenas de países há mais de 10 anos),  e em que muita da nossa alimentação é transgênica, questiono-me sobre o por que  de crucificarem a pobre da colher de pau. Ah, e ela não é a única perseguida. Tábuas de madeira, tachos e outros utensílios que fazem parte da nossa história e cultura já foram para a fogueira também.

Claro que a gente sabe que a cozinha é um lugar na casa onde facilmente se proliferam bactérias, mas sem neuroses e com alguns cuidados, é possível deixar a cozinha limpa sem sacrificar coisas que fazem parte da nossa cultura culinária, como a colher de pau. Por isso, super aderi ao Manifesto Colher de Pau, pois ele compila uma série de ideias das quais eu partilho em relação à culinária e à cultura gastronômica, em resumo: pensar a comida regional e tudo que envolve a produção de alimentos e os seus modos de preparo como patrimônio. E a colher de pau faz parte disso! Por isso, quem encabeça a iniciativa escolheu a colher de pau como símbolo.

Abaixo, eu copiei, na íntegra, o Manifesto que foi publicado no site da Carta Capital. Dá uma olhada 😉

Manifesto Colher de Pau

Pela salvaguarda das cozinhas regionais e tradicionais do Brasil, e com respeito aos acervos culinários que são também identificados nos conjuntos de objetos de madeira, metal,FIBRA natural trançada, cerâmica entre outros; conjuntos de objetos variados e fundamentais ao ofício de se fazer a comida e possibilitar a preservação das receitas, e ainda preservam a estética de cada prato e o seu serviço em diferentes espaços e ambientes sociais.

A comida servida à mesa, em banca, sobre esteira, sobre folha de bananeira, traz vivências das muitas experiências culturais de comensalidade nos cenários das casas, dos mercados, das feiras, dos restaurantes, dos templos, entre tantos outros.

Pela segurança alimentar e principalmente pela soberania alimentar o “Manifesto Colher de Pau” quer valorizar cada objeto, implemento de cozinha, e rituais sociais de oferecimento de comida e bebida como forma de preservação do exercício dos saberes tradicionais e indentitários de famílias, regiões, segmentos étnicos, religiões; e, em destaque, a compreensão plena da importância técnica e simbólica de cada objeto.

Assim, morfologia, material, função, trazem memórias ancestrais que são definidoras das peculiaridades das culturas e dos povos que são identificados em cada objeto. Objeto vinculado ao que se entende por “patrimônio integrado” no entendimento contemporâneo de patrimônio cultural imaterial.

Respeitar e manter estes acervos materiais nas cozinhas, e nos serviços, garantem os espaços de singularidade e de peculiaridade dos nossos sistemasALIMENTARES de brasileiros, e os acervos significativos dos sabores, da construção dos paladares, ações que se dão no exercício das culturas.

ParaPARTICIPAR da campanha, acesse www.facebook.com.br/fbssan

#comidaepatrimonio #pensamentopimenta

molho-tomate-caseiro
Receitas

Molho de tomate caseiro

Você pode não ser bom na cozinha (bobagem, cozinhar e coçar é só começar!), mas tem uma coisa que você precisa saber fazer: molho de tomate caseiro! Em algum momento, mais cedo ou mais tarde saber fazer um bom molho de tomate caseiro vai salvar a sua vida e sua reputação!

Eu, como ainda não estou cansada de dizer, escolho comida de verdade, comida fresquinha, feita em casa, com amor e com afeto… Por isso, nada de molho de latinha, vidrinho, caixinha! Ainda mais o molho de tomate que é tão fácil de fazer. Ah dúvida? Olha só a receitinha.

 

Como fazer molho de tomate caseiro

Ingredientes

  • 1 cebola ralada
  • 1 dente de alho
  • 1 colher (sobremesa) de azeite de oliva extra virgem
  • 2 tomates ORGÂNICOS cortados em quatro
  • Pimenta-do-reino moída na hora (opcional)
  • Folhinhas de manjericão na hora de finalizar

 

Modo de preparo

Doure a cebola no azeite e adicione o alho. Depois adicione o tomate e deixe ele cozinhar até desmanchar. Deixe esfriar e bata no liquidificador com o manjericão. Volte para a panela e reduza um pouco, se necessário e corrija o sal.

 

Segredo do molho: deixar a cebola dourar bem e ir pingando água até ficar totalmente caramelizada em tom marrom. Esse processo irá trazer doçura ao molho.

 

Gostou? Esse molho e muito outros está no meu livro Projeto Verão Pra Vida Toda 😉

Beijos,

Carol

 

RENDIMENTO 1 PORÇÃO

Uma dica para saborizar a quinoa (mas também funciona para arroz;)) é colocar um pedaço de limão (mas tb pode ser alho, ervas frescas, etc) para cozinhar junto. Lembrando que grãos e leguminosas devem sempre ser deixados de molho (e a agua descartada) antes de serem cozidos. Para quem quiser saber mais detalhes tem post la no blog (www.falecomanutricionista.com.br) . E por essa #dicaDoDia não vou pedir nada, só um like. Rsrsrs
Projeto Verão Pra Vida Toda, Receitas

Jantar saudável e prático: quinoa com vegetais!

Sabe quando você chega em casa cansada e sem a menor vontade de comer uma coisa fria, tipo salada? Sabe quando parece que até sua alma pede um acalento? Mas sabe quando algo muito, mas muito bacana mesmo acontece no seu dia e você quer fazer qualquer coisinha de diferente para comemorar? Literalmente -> COMER – MOR – AÇÃO!

 Pois é, outro dia cheguei em casa com essa vontade de comemoração, mas meu estômago gritava-> comida quente, comida quente. Meu corpo gritava-> que seja leve, que seja leve. E minha cabeça estressada com mil coisas ainda por fazer no dia / noite alertava-> que seja rápido, que seja rápido, que seja rápido.

Lembrei de uma receita da Dedo de Moça que adoro, Legumes Rústicos, e pensei, pronto, vai ser isso. Só que quando fui olhar na geladeira não tinham todos os ingredientes. No final usei a receita delas como base e dei uma “CAROLada”. Para acompanhar uma quinoa cozida com temperinhos ricos.

A combinação ficou algo do tipo “melhores coisas da vida de comer de joelhos e SEM PESO NA CONSCIÊNCIA”.

Vegetais cozidos e assados:

(tudo orgânico, hein minha gente?!)

Para os legumes (aproximadamente 1 xícara de chá de cada vegetal picado em cubos)

– 7 beterrabas pequenas

– 2 abobrinhas pequenas

– 3 cenouras pequenas

– 20 vagens (+-)

– 1 maçã

– 1 colher de sopa de alho em flocos

– 2 colheres de sopa de azeite extra virgem

– 1 colher de sopa de alecrim desidratado

– 1 pitada de canela em pó

– Sal a gosto

Modo de fazer: Cortar todos os vegetais em cubos pequenos, cozinhar no vapor cada um dos vegetais separadamente até ficar al dente, não deixar amolecer muito. Levar para um refratário e juntar a maçã, o alecrim, a canela, o azeite e o sal. Levar ao forno por aproximadamente 20 minutos, ou até que os sabores tenham se apurado.

Para a quinoa cozida:

– 1 xícara de chá de quinoa em grãos

– 2 xícaras de chá de água

– 1/2 cebola

– 2 dentes de alho

– 1 colher de sopa de azeite extra virgem

– 1 colher de café de cúrcuma / açafrão da terra

– 1 colher de sopa de coentro fresco

– 1 colher de sobremesa de cebolinha verde fresca

Modo de preparo: Refogue a cebola e o alho no azeite em fogo baixo até murchar, adicione um pouquinho de água se necessário, mas não deixe queimar, adicione então a água, a quinoa, o coentro, a cebolinha e a cúrcuma. Tampe a panela e deixe cozinhar por aproximadamente 20minutos ou até que a quinoa esteja cozida.

 

Ainda ficou em dúvida em como fazer a quinoa? Então olha aqui.

 

Beijos,
Carol

foto sergio pagano
Projeto Verão Pra Vida Toda

10 passos para uma alimentação saudável

Olha só que bacana esse vídeo do Ministério da Saúde lançado para divulgar um guia para uma reeducação alimentar dos brasileiros. O guia é apresentado em 10 passos numa animação que foi vista e elogiada que nosso amado guru @MichaelPollan. Abaixo, eu reproduzo, quase na totalidade, o texto narrado na animação.

Guia de alimentação saudável em 10 passos

Há alguns anos, a nossa alimentação tem mudando para pior. Estamos trocando comida de verdade e refeições preparadas com ingredientes frescos por alimentos processados. A comida como era feita por nossos avós está perdendo lugar nas nossas mesas. Cada vez mais, estamos comendo alimentos pré-prontos e congelados, alimentos industrializados, comida de plástico. E este tipo de “comida” tem contribuído para o crescimento de males como a obesidade, diabetes, enxaqueca, colesterol alto, entre muitas outras doenças.

Mas a partir do momento em que a gente toma consciência do problema, é possível reverter o quadro melhorando o nosso estilo de vida e encarando uma reeducação alimentar que é menos complicada do que parece. Quer ver como é fácil ter uma alimentação saudável?

1. Comer comida de verdade e usar ingredientes naturais e frescos para preparar as refeições;

2. Usar óleo, sal e açúcar em pequenas quantidades, e substituir os refinados por opções mais saudáveis, por exemplo: substituir o açúcar por mel ou açúcar mascavo, o sal por flor de sal, e usar azeite no lugar de óleo de soja (eca!);

3. Limite o consumo regular de alimentos processados, mesmo se baseados em alimentos frescos, como frutas em conserva. A gente sabe que esse tipo de alimento leva muito açúcar, sódio, conservantes e outros “antes”. Prefira sempre a comida fresca, que é mais rica em nutrientes;

4. Evite ao máximo alimentos altamente processados, como salsichas, refrigerante, nuggets, suco de caixinha, bolacha recheada (socoorroooo!). Este tipo de alimento não tem nada que salve! É muito excesso de sódio, de açúcar, de aditivos químicos, de gordura,  e nada ou quase nada de fibras e nutrientes;

5. Coma regularmente e faça do momento da refeição um momento agradável, um ato social. Saboreie a comida e desfrute da companhia durante a refeição. Mastigue, mastigue, mastigue, respire, coma devagar, com prazer, nada de devorar, engolir sem nem sentir o gosto da comida!

6. Compre comida em feiras e mercados locais, prefira o que é produzido na sua região, pois certamente será mais fresco. Sempre que possível, faça algum esforço para comprar alimentos orgânicos, evite os agrotóxicos. Escolha as frutas e vegetais da estação, são mais baratos e mais fresquinhos e naturais.

7. Tente desenvolver o hábito e o prazer de fazer a sua própria comida, e compartilhe tanto o momento de cozinhar como as suas habilidades culinárias com outras pessoas. Cozinhar é um ato de amor!

8. Evite armazenar alimentos. Cria uma rotina para ir às compras, tenha uma lista e planeje os seus menus do dia e da semana;

9. Quando for comer fora de casa, dê preferência a restaurantes que servem comida fresca. Evite fast food, e monte um prato balanceado e colorido.

10. Não caia no papo da publicidade e não se deixe seduzir por uma embalagem bonitinha. Por fora bela viola, por dentro pão bolorento, essa a gente já conhece bem!

E então, preparados para virar a mesa? Vamos nessa?!

Você já conhece o Manifesto do Projeto Verão Pra Vida Toda? Tem tudo a ver com isso tudo 😉

comida
Dicas, Projeto Verão Pra Vida Toda

Comer comida de verdade

Quantas pessoas com mais de 80 anos você conhece hoje? Já pensou em como era alimentação dessas pessoas quando elas eram jovens, na casa dos 20 anos? Quando elas eram criancinhas, não existia fast food e a indústria alimentícia era o esboço do que é hoje.  De lá para cá, muita coisa mudou…

Comer é algo transversal e essencial em nossa vida e no mundo, e mesmo quando não estamos comendo, a comida está em tudo em nós. Para entender o impacto que tem a alimentação na nossa vida e no mundo, é preciso ter uma visão global da comida, do processo de produção que a envolve, de todo o desenvolvimento que fez com que os alimentos de hoje sejam o que são, do ato de comer, e os efeitos micros e macros daquilo que comemos.

Há muita coisa por trás desse leite “longa vida”, dessa bolacha recheada, dessa lasanha congelada, e desse suco de caixinha que tem aí no seu armário. Para compreender como viemos parar onde estamos, seria preciso mergulhar na história da metade do século XIX para cá, pelo menos! 

Hoje a alimentação da população brasileira e mundial, que vive nas grandes cidades é prioritariamente industrializada, processada. E os efeitos da industrialização não estão só nos alimentos embalados, não! Infelizmente, e a gente sabe bem, estão na carne, nos vegetais, nos ovos…

Nos tempos dos nossos avós, a comida era simples e natural. A carne não era “bombada” com hormônios e antibióticos, as verduras, legumes e frutas não eram cultivados à base de agrotóxicos e, pasmem, não duravam quase duas semanas! Apodreciam, como é normal acontecer com comida de verdade.

E aí, a gente se pergunta: estamos tão mais “desenvolvidos e civilizados” do que os nossos avós, não é?!  Temos celulares e computadores que nos permitem fazer quase tudo, viajamos o mundo todo, nunca fomos tão informados, temos carros hipervelozes, compramos roupa pronta e o nosso alimento também, já não precisamos sujar as mãos fazendo nada!  Nâo é uma maravilha?! É??? Então por que estamos nos esforçando tanto para voltar a comer como antigamente?  Pois é, mas é difícil, né?! É o marketing alimentício unido à falta de tempo, de vontade, e de paladar  fazendo a nossa alimentação ficar mais pobre, menos saborosa e menos saudável.

Mas aos poucos ((( oxalá ))) a gente vem percebendo uma inversão dessa tendência. Os anos foram passando e começamos a sentir na pele, nos ossos, no coração, em todos os outros órgãos e até na alma, como os alimentos industrializados afetam negativamente a nossa vida e a nossa saúde. O nosso organismo, coitado, já não sabe mais o que fazer com tantas toxinas que entram pela nossa boca, nariz e poros. É hora de rever os nossos conceitos sobre alimentação, sim! 

No final das contas, a conclusão é muito simples: precisamos comer comida de verdade, orgânica, integral, fresca, sem agrotóxicos, produzidos com generosidade, com respeito e cuidado. Felizes serão os dias em que em vez de querermos ter mais espaço na garagem para carros, quisermos e podermos ter mais espaço para cultivar a nossa horta.

  • “não coma nada que a sua avó não reconheceria como comida”
  • “não coma nada com mais de 5 ingredientes”
  • “não coma nada com ingredientes que você não consiga pronunciar”
comida-festa-junina
Dicas

Comidas típicas de festa junina

Comer é um ato social, cultural, afetivo e nutritivo (ou ao menos deveria ser). Mas em determinadas datas, esse caráter cultural e afetivo da comida fica ainda mais evidente, como nas festas juninas! Nas comidas típicas de festa junina aparece e resplandece um Brasil lindo de se ver.

Festa junina é brasilidade pura nos sabores, nos cheiros, nas cores. Festa junina é baião de dois, é cravo e canela, é muito amor! E tem gostinho de infância, por isso todo esse afeto quando a gente lembra das comidas típicas de festa junina. Maçã do amor, pipoca, milho cozido e assado, pamonha, curau, canjica, amendoim, quentão, bolo de fubá, cuscuz, é tudo “bão demais da conta”…

A festa junina é uma celebração da roça, do sertão, do caipira, por isso fica mais bonita e saborosa ainda quando a gente faz a coisa do modo mais tradicional possível e tenta preparar todos esses pratos típicos com ingredientes in natura e de maneira tradicional. Para deixar o seu “arraiá” mais saboroso e saudável, você pode adotar algumas medidas e substituições simples. Dá uma olhada:

  • Pipoca boa é de panela e não de microondas;
  • Substitua o leite de vaca pelo leite de coco nas  receitas (dilua em água, para cada xícara de leite de coco, use meia de água);
  • Prefira ovo orgânico;
  • Use açúcar mascavo ou rapadura no lugar do leite condensado;
  • No preparo do quentão, use açúcar mascavo ou rapadura;
  • Observe qual a procedência dos alimentos que comprar;
  • Escolha orgânicos, integrais, fresquinhos e naturais.

 

Aí tem gente que vai questionar, nossa mas e as calorias dessa comilança toda? Não preciso nem dizer que essa preocupação com calorias não me pertence, né?! Acho que o que é realmente importante é a gente se preocupar, por exemplo, com o milho transgênico ou com a maçã do amor envenenada com agrotóxico.

bxReceitas 3_3
Receitas

Jantar de dia dos namorados

Tem coisa melhor do que cozinhar para quem a gente ama? Então que tal nesse dia dos namorados, em vez de você enfrentar a loucura das reservas de restaurante, você não cozinha para o seu amor? Para te ajudar, preparei um menu especial para o seu jantar de dia dos namorados feito por você mesmo, com entrada, prato principal e sobremesa. Sim, porque a gente também ama com o estômago

 

Jantar de dia dos namorados DIY

Entrada
SALADA FIGUE

Ingredientes:

  • 2 prato de sobremesa de folhas de sua preferência
  • Fatias de abacate
  • 1 xícara de tomates cerejas picadas
  • 2 colheres de sopa de amêndoas laminadas torradas
  • Molho de tangerina picante

Modo de fazer:
Coloque no prato as folhas regue com o molho de tangerina e adicione os tomatinhos, o abacate e as amêndoas em lascas.

 

Prato Principal
QUINOTO DE SHITAKE

Ingredientes:

  • 1/2 cebola pequena cortada em cubinhos
  • 1 colher de sopa de manteiga clarificada, óleo de coco ou, azeite de oliva
  • 1 xicara de chá de vinho branco seco
  • 2 xícaras de chá de shitake picado sem os talos
  • 1 xícara de chá de quinoa em grãos
  • 1 limão siciliano: raspas e suco
  • 1/2 xícara de água, aproximadamente
  • Sal a gosto
  • Amendoas em lascas torradas

Modo de fazer:
Doure a cebola na manteiga, óleo ou azeite, adicione 1/2 xícara do cogumelo picado e, depois, o vinho branco. Então adicione a água e a quinoa. Quando ela estiver quase al dente, adicione o suco do limão e as raspas. Separadamente, refogue o restante do cogumelo (na manteiga, óleo ou azeite). E, por fim, misture no risoto. Servir com as amêndoas em lascas.
Sobremesa

CARPACCIO DE MAÇÃ

Ingredientes:

  • 2 maçãs (com casca e sem sementes) fatiadas em lâminas finas.
  • Mel de abelhas
  • Canela em pó
  • Mix de nuts

Modo de preparo:
Colocar a maçã fatiada em um prato e adicionar 1 fio de mel, mix de nuts e polvilhar com canela.

  • Rendimento do menu: 2 porções
oleo-de-coco
Dicas, Ingrediente da vez

Benefícios do óleo de coco

Já saiu até na Vogue artigo falando dos benefícios do óleo de coco, deu até no New York Times! Que bom que a ciência avança e nos mostra, muitas vezes, que o que antes pensávamos ser vilão, pode ser um baita aliado na manutenção da nossa saúde.

 

Quais os benefícios do óleo de coco?

O óleo de coco auxilia no bom funcionamento intestinal, na melhora da resposta imunológica e também, essa todo mundo gosta, na redução da gordura abdominal, vulgo pochete. Se joga no óleo de coco, “bebê”.

A recomendação é de pelo menos 1 colher de sopa por dia. Ele tem gostinho de coco e você pode ser utilizado em frutas, mas também em vegetais grelhados e até para grelhar carnes, peixes, aves… O céu é o limite.

Aproveitei para fazer hoje no café da manhã um dos meus “pratos” preferidos na infância: banana da terra grelhada. É só colocar o óleo de coco (bem pouquinho) na frigideira, depois a banana, e deixa grelhar…

Comemos com açúcar mascavo, canela e amor… muito amor ♥♥♥

Beijos,
Carol

chocolate faz bem
Dicas

Comer chocolate faz bem?

Sabe aquela frase “você é o que você come”? Pois é, ela também é verdade quando falamos da relação entre alimentação e alterações de humor. Porque a comida influencia no nosso modo de estar no mundo e no nosso estado de espírito. A gente sabe que há vários alimentos que têm propriedades que ajudam a acalmar, a trazer sensação de bem estar, excitação, e etc. São alimentos famosos por provocar alterações de humor. O chocolate é um deles… O chocolate tem os seus encantos, e não é à toa que num momento de desespero a gente come um tabletezinho de chocolate e depois se sente consolado da vida.

Mas o chocolate é daqueles alimentos que frequentemente entram para o rol dos vilões. É, para muitas pessoas, o inimigo da “boa dieta” e do “corpo em forma”, é o diabinho da culpa no que diz respeito à comida. Será que o chocolate merece realmente essa má fama? Vamos entender!

Comer chocolate faz bem ou faz mal?

Infelizmente, o chocolate industrial que encontramos para vender de modo mais frequente no Brasil é puro leite, açúcar, gordura e algum cacau… Ou seja, aquilo que realmente é bom e faz bem no chocolate, o cacau, vem em pouquíssima quantidade, quando deveria ser o principal ingrediente.

No entanto, mesmo assim o chocolate tem esse dom de nos trazer uma satisfação, uma alegria, um sorrizinho escorrendo no canto da boca… Por quê? Ora, a gente já sabe que o açúcar está ligado ao sistema de recompensa do corpo, e como o nosso paladar já está culturalmente habituado ao doce, um chocolatezinho cai (quase) sempre bem para o paladar acostumado com o doce.  Além disso, o chocolate aumenta a produção de serotonina, o hormônio do bem-estar e do prazer, é estimulante, porque possui cafeína (não muita, mas tem), agiliza o raciocínio e dá energia (lembra quando você estava estudando para o vestibular e tinha sempre um chocolate na bolsa?).

Dá uma olhada nessa delícia de receita de Mousse de Cacau

Infelizmente, o modo de preparo industrial do chocolate não permite que as suas propriedades e benefícios nos façam tão felizes e nos façam tão bem! É comum para algumas pessoas sentirem enxaqueca quando comem chocolates, isso sem falar nos males que o consumo exagerado podem trazer a médio e longo prazo. Mas o problema está no cacau usado no preparo do chocolate? Não!

Ao contrário do que muita gente pensa, são raros os casos de alergia ao chocolate por causa do cacau. Muitas pessoas têm alergia ao chocolate por causa dos derivados do leite e dos aditivos químicos presentes no chocolate industrial.

cacau

Propriedades do cacau

A jóia rara do chocolate é o cacau, que é super nutritivo. O cacau é rico em magnésio e ferro, que ajudam no bom funcionamento do sistema digestivo, do coração e do cérebro, ajudando a manter o sangue saudável também, além disso o cacau ainda é fonte de vários outros nutrientes e é antioxidante.

O cacau é usado inclusive como planta medicinal para o tratamento de doenças cardiovasculares, problemas associados ao sistema nervoso. O cacau também é usado no tratamento de insônia e é diurético.

Qual o melhor chocolate?

Por mais que você esteja acostumado com o chocolate ao leite, procure adaptar o paladar ao chocolate meio amargo e amargo, e quanto mais cacau tiver no chocolate, melhor! O ideal é que o chocolate tenha pelo menos 70% de cacau, e você já sabe… quanto mais cacau tiver o chocolate, mais antioxidantes e outras propriedades benéficas do cacau estarão presentes, e menos leite, menos gordura, menos químicos também.

Resumindo a história: comer chocolate faz bem sim, desde que você saiba escolher o chocolate e coma com moderação.

Beijos,
Carol

dia-dos-namorados-cópia
Dicas

Dia dos namorados

Alimentação e romance tem tudo a ver. Por isso, estou aqui para salvar sua noite (sou humilde) com diquinhas espertas para você não colocar tudo a perder. Sim, meu bem, uma comidinha errada e a noite já era.

Por exemplo? Churrascaria. Nunca, jamais ou em tempo algum leve o ser amado para jantar em uma churrascaria se você tem intenções auspiciosas (e, por que não dizer, atléticas?). Carne pesa no estômago e demora um tempão para ser digerida, especialmente na ignorância de um rodízio. O mesmo acontece com comidas muito gordurosas. Ou seja, uma noite quente pede uma alimentação leve… Ui…

Para jantar fora, normalmente as pessoas também acham lindo e romântico ir a um italiano comer massa e tomar vinho. Ou ainda um fondue de queijo, seguido pelo de carne e o de chocolate. Pode até ser, mas o resultado é “todos dorme” (mal) depois… Se esse é seu objetivo, taí a receita… rsrsrs

Titia vai dar a dica: restaurante japonês. Os peixes são ricos em ômega-3, que é vasodilatador. Ou seja, ajuda o sangue a circular melhor já que, daqui a pouco, ele deve estar concentrado em outras regiões, e não no estômago. Neah? Além dos peixes, os pratos orientais também tem muito gengibre. Não pesa muito e te deixa mais quente.

E se você não teve escolha e está em um outro restaurante qualquer? Pode até ir de massa, mas não coma muito e escolha molho vermelho. Um vinho, se você bebe, sempre vai bem. Mas óbvio que não é para se embriagar e perder a consciência ou acabar a noite abraçando a louça (do toillete) não o amor…

Outras diquinhas para o seu dia dos namorados

Vá nos pratos leves e pode caprichar na pimenta, gengibre e curry. Ostras ajudam sim. São ótima fonte de zinco, essencial para o funcionamento dos hormônios masculinos e femininos.

Vai fazer algo em casa mesmo? Que tal petiscos leves, como por exemplo os árabes, pastinhas e pãezinhos, sem exagero obviamente…

Spaguete de abobrinha com molho vermelho também é uma ótima opção leve que faz as vezes da massa sem pesar.

Então é mais ou menos isso… Menos é mais…

Para ajudar no clima da noite pedi a um amigo querido, que domina muito na música e também nas receitas, para bolar um set de músicas especial para essa ocasião. Está delicioso! Menos um problema: o DJ Ezy Fischel já cuidou da música para nós.

É só clicar aqui e deixar rolar…

Sempre é tempo de celebrar o amor!!!

 

 

alimentos-integrais
Dicas

Por que consumir alimentos integrais?

Faz parte dos meus princípios de trabalho o uso de alimentos integrais, orgânicos e frescos. Na cozinha e na vida, eu preso pela simplicidade, e comer comida de verdade é (ou deveria ser) o que há de mais simples e natural em termos de alimentação. Mas é verdade que nos dias de hoje, até mesmo ser simples e natural se tornou um pouquinho complicado.

Como diz a minha amiga PatFeldman, o estímulo para comer comida integral é muito bem vindo e bem intencionado, mas hoje em dia a comida integral não é consumida como era antigamente, quando a indústria alimentícia não era o que é hoje e as pessoas sabiam o que fazer com os seus grãos, sementes e cereais. Já explicamos em outro artigo porque é fundamental deixar os grãos de molho antes de consumi-los, mas com alguns pequenos cuidados, é possível usufruir de toda a riqueza nutricional dos alimentos integrais.

Veja aqui por que deixar os grãos de molho antes de consumi-los.

Consumir alimentos integrais, faz parte de uma alimentação saudável e traz uma série de benefícios nutricionais. Um alimento integral é aquele que não foi refinado e mantém a sua estrutura e integridade dos nutrientes, qualitativa e quantitativamente. Quando os alimentos, grãos e cereais, por exemplo, não passam pelo processo de refinamento, preservam vitaminas, minerais e fibras, que são fundamentais para o bom funcionamento do organismo. Se você consome integrais, logo consome menos processados e já diminui uma série de efeitos negativos que estes alimentos podem trazer para a saúde.

A alimentação ideal para mim, é saborosa, saudável e não faz mal nem a quem come e nem ao meio ambiente. É comida de verdade, feita com ingredientes de verdade, saidinhos da terra, sem fertilizantes, sem agrotóxicos… Química só aquela que já vem da natureza e que o nosso próprio corpo produz.

Sim, é possível reduzir o consumo de alimentos processados, substituindo por opções mais saudáveis. É possível, é gostoso, é desafiador! Vamos nessa?!

 

Benefícios de consumir alimentos integrais

Eu podia escrever até o infinito razões para não consumir alimentos processados… Mas vou resumir assim: muita coisa mudou no mundo com a industrialização, e a mão que afaga é a mesma que apedreja. Coincidência ou não, nas últimas décadas, sabemos que uma série de doenças surgiram e outras evoluíram, e muitas delas estão diretamente relacionadas com o que comemos.

Por outro lado, os benefícios de consumir alimentos integrais são muitos, começando pelo sabor. Infelizmente, estamos tão habituados aos processados e ao sabor sintético e artificial da comida que não é de verdade, que já mal conseguimos realmente desfrutar o sabores da comida de verdade.

O primeiro desafio da reeducação alimentar, é gostar do que comemos. Por isso, o passo inicial para consumir alimentos integrais e incorporá-los aos hábitos alimentares diários é abrir a mente e ter vontade.

Consumir alimentos integrais:

Torna a dieta mais rica em fibras, minerais e vitaminas;
Melhora o funcionamento intestinal;
Reduz os níveis de colesterol e glicose no sangue;
Proporciona mais sensação de sacieade;
Permite menor absorção de glicose e gordura no processo digestivo;
Aumenta a quantidade de lactobacilos no organismo;
Reduz o risco de diabetes;
Maior variedade de nutrientes na dieta;
Maior riqueza de sabores na alimentação;

Substitua os refinados por integrais

– Arroz branco por arroz integral
– Açúcar branco por açúcar mascavo (ou mel…)
– Sal refinando por sal marinho
– Farinha de trigo branca por farinha de arroz, fécula de batata, de mandioca ou de polvilho
Arroz com feijão é bom, mas podemos diversificar! Mais lentilhas, mais grão de bico, mais ervilhas (frescas), mais milho (da espiga!).
– Use mais sementes na alimentação, como chia, sésamo, linhaça, gergelim…
– Diversifique nos vegetais, há tanto mais além de tomate, alface, cenoura, cebola, batata e alho! E frutas então? Há muita coisa nesse Brasilzão, por que nos contentarmos com a banana, mação, pêra, uva… Vamos explorar os sabores regionais e os sabores do mundo!

Beijos,
Carol

como-fazer-sopa
Receitas

Como fazer sopa

Há uma variedade enorme de sopas no mundo, mas com certeza não há sopa igual a da sua mãe ou avó… porque sopa é aquele tipo de prato que conforta o corpo e o coração, e que cai bem em muitas ocasiões, principalmente quando está friozinho.

Se você é daqueles que adora, mas não sabe como fazer sopa, aqui vai a receitinha de uma base que utilizo para quase todas as sopas, principalmente quando não disponho de um caldo caseiro. Ele é variável e serve para saborizar os vegetais que você tiver a disposição. É mais ou menos como um caldo rápido.

 

Ingredientes
Azeite ou óleo de coco
1 cebola
1 alho poró
2 dentes de alho
½ xícara salsinha
½ xícara de cebolinha
½ xícara de hortelã
½ xícara de manjericão e outras ervas que preferir
Sal à gosto
Pimenta do reino à gosto

Modo de preparo
Refogue todos os ingredientes, adicione água e só depois os vegetais da sopa.

 

Agora que você já sabe como fazer sopa, quer ver como é fácil  a partir desta base fazer uma sopa de cogumelos? Dá uma olhada:

Receita de sopa de cogumelos

Ingredientes
Base rápida para sopa
1 xícara de shimeji picado
1 xícara de shitake picado
1 xícara de inhame

Modo de preparo
Refogar a base com os cogumelos e o inhame, adicionar água e deixar ferver. Quando o inhame estiver cozido, desligue o fogo e liquidifique tudo. Tempere com sal e pimenta à gosto.
Beijos,
Carol

deixar-graos-de-molho-cópia
Dicas

Por que deixar os grãos de molho?

Sempre que falo de deixar os grãos de molho antes de consumir, como arroz integral, muita gente pensa que é apenas para cozinhar mais rápido… Mas na verdade, há muito mais alquimia nesta dica!

Vou tentar explicar de uma forma bem simples o porquê de deixar grãos de molho. Nós já falamos das vantagens de consumir grãos integrais, mas a gente sabe que tudo nesta vida tem um porém. Consumir grãos integrais de modo inadequado pode levar a vários efeitos colaterais, desde síndrome do intestino irritável até deficiência de minerais. O consumo de grãos integrais é sim altamente recomendado, mas para fazer bem também a médio e longo prazo é importante que sejam consumidos da maneira certa.

Boa parte dos grãos contém ácido fítico ou fitato, um inibidor enzimático, na sua camada mais externa. E como os grãos integrais não são previamente processados ou fermentados, este ácido não está neutralizado. O fitato dificulta o processo digestivo e geralmente se liga a algumas proteínas e minerais no trato intestinal, como cálcio, zinco, ferro e magnésio, e pode impedir a sua adequada absorção e assimilação pelo organismo. Por isso, o fitato é considerado um fator antinutricional de alguns alimentos.

Quando deixamos os grãos de molho, enzimas e outras substâncias neles presentes conseguem neutralizar o ácido fítico, fazendo com que as suas proteínas, minerais e vitaminas sejam mais facilmente absorvidos pelo organismo.

Além de neutralizar o ácido fítico, deixar os grãos de molho também ajuda a “quebrar” parcialmente outras proteínas de difícil digestão, como o glúten, presente em muitos grãos.

Como deixar os grãos de molho

Agora que já sabemos da importância de deixar os grãos de molho, basta torna um hábito. E não da trabalho nenhum! Ou seja, podemos manter a vida integral com todos os benefícios que ela tem. Não desanime pensando “ah se tudo faz mal, então vou comer o que é mais fácil” e voltar para os processados!

Deixar os grãos de molho é muito fácil: água filtrada com algumas gotinhas de limão ou vinagre por pelo menos 7h. Use sempre duas medidas de água para cada de medida de grão, e aproximadamente uma colher de sopa de vinagre ou limão para cada medida de água. É fácil gente, todo dia à noite coloca os grãos de molho. Não custa nada! Então, a partir de agora: lentilhas, feijão, grão de bico, quinoa, arroz integral… tudo de molho antes de ir para panela, certo?!

Gostou do artigo? Se quiser saber mais detalhadamente sobre o porquê de deixar grãos e sementes de molho, a minha amiga PatFeldman ela explica tudo ao pormenor aqui 😉

dieta-para-diabeticos-jpg
Dicas

Dieta para diabéticos: tudo diet?

A comida é parte importante da nossa vida, e se há uma coisa na qual a diabetes vai mudar a sua vida e na alimentação. Por isso, muita gente, quando se descobre diabético fica desesperado pensando em tudo que não pode mais comer. E a primeira coisa que deduz é: vou ter que trocar açúcar por adoçante e comprar só comida diet. O intuito deste artigo não é dizer o que pode ou não pode entrar na dieta para diabéticos. Mas sim, tranquilizar!

Não sei bem o caminho que percorremos para chegar até a ideia de que o melhor remédio para os diabéticos é o adoçante e a comida diet. Quase como se fosse uma necessidade vital, a dieta para diabéticos “tem” que incluir adoçante e comida diet!

Assim como todo mundo, os diabéticos precisam controlar a carga glicêmica na alimentação diária, isso inclui evitar carboidratos simples e não consumir açúcar branco. Mas será que essa regra não deveria ser indicada para todos?!

Controlar a carga glicêmica significa, basicamente, não consumir carboidratos simples isoladamente, porque eles têm a capacidade de chegar muito rápido à corrente sanguínea, causando uma enxurrada de glicose. E isso não é bom para o organismo de ninguém, principalmente para o de quem tem diabetes.

Refeições preparadas com alimentos de verdade, bem combinados, sempre com a presença de fibras, proteínas e gorduras boas possuem cargas glicêmicas equilibradas e não sobrecarregam o sistema de ninguém. O que é fundamental saber, é que uma pessoa com diabetes deve ingerir pouco sal, poucas gorduras e, principalmente, pouco açúcar. Mas há uma enorme variedade de alimentos que estão liberados, principalmente comida de verdade! Os processados, em geral, são os que primeiro devem entrar para a lista negra!

Equilíbrio e moderação na dieta para diabéticos

A dieta para diabéticos não deve ser feita somente com os chamados produtos para diabéticos. Aliás, muitos destes produtos possuem um elevado teor de gordura saturada e calorias.

O mais importante quando alguém é diagnosticado com diabetes é receber, imediatamente, acompanhamento com um nutricionista. A dieta e o medicamento que servem para uma pessoa não serão os mesmos para todos, porque há uma série de outras variáveis clínicas que devem ser consideradas. E sim, é verdade, muita coisa precisará mudar na alimentação. Mas não tenha medo, se você for observar bem, tirando muita coisa que faz mal (inclusive para quem não tem diabetes), a sua alimentação vai acabar por ficar bem mais saudável. É tudo uma questão de reeducar os hábitos alimentares e o paladar, e tentar fazer desse processo algo positivo e não focar apenas no que vai ter que deixar de comer.

Pode ou não pode comer?

Uma dieta para diabéticos não é feita só de “pode comer e não pode comer”, inclui uma série de mudanças no estilo de vida, que na verdade valeriam também para todos nós! Como praticar uma atividade física com regularidade e se manter ativo, ficar de olho no peso (por uma questão de saúde e não de modismo), manter a pressão arterial, níveis de glicose e a gordura do sangue sempre sob controle… a diferença é que no caso dos diabéticos esse acompanhamento tem que ser feito com alguma rigidez e muita atenção. Quanto mais equilibrados estiverem os seus níveis, mais normal será a sua vida. O seu trabalho será se manter em equilíbrio.

Para muitas das coisas que você gosta de comer, o que vai valer é a moderação. A banana e outras frutas que são muito doces, no geral, podem ficar na sua dieta, desde que seja com moderação e que o profissional que lhe acompanhe oriente.

E é bom ter no radar quais são os alimentos que possuem um baixo índice glicêmico, pois estes alimentos vão retardar a absorção da glicose.

Não tenha medo! É completamente possível levar uma vida normal, saudável e saborosa com diabetes. Não deixe que a diabetes torne o seu paladar e a sua relação com a comida mais pobre, não restrinja a sua dieta aos produtos diet! Vá buscar na comida de verdade o que o seu corpo precisa para ficar bem.

Beijos,
Carol

beneficios-da-beterraba
Dicas, Receitas

Benefícios da beterraba e receita de suco pink

Desde de criança, a gente sempre ouviu falar dos benefícios da beterraba. Mas muita gente, mesmo adulto torce o nariz para ela. As minhas memórias de infância com a beterraba incluem pintar os lábios com beterraba cozida e o suco de beterraba com laranja… uma delícia!

A beterraba é rica em um monte de coisa. Se fosse uma pessoa, ia ser daquelas que são bonitas, inteligentes, legais e generosas. É uma raíz com muita vitamina A, e vitaminas B1, B2, B5, potássio, fósforo, zinco, ferro, magnésio, cálcio e outros.

Quer saber quais os benefícios da beterraba? Então vamos lá… A beterraba é ótima aliada para quem está com anemia, para fortalecer dentes e ossos em geral, para inflamações, e para equilibrar também as funções dos músculos e nervos. Além de tudo isso, a beterraba ainda é antioxidante! A beterraba também ajuda no controle da hipertensão e é um excelente laxante natural.

Não sabe o que fazer com a beterraba? Gente, usa e abusa da beterraba na salada, na sopa, no suco… crua, cozida, e até assada!  E sabe o que é engraçado na beterraba? É que a gente tem a impressão, por causa da cor, que ela tem um sabor super forte, mas na verdade o seu sabor é quase sempre ocultado por qualquer coisa que a acompanhe! experimenta o suco de beterraba com laranja ou limão, por exemplo. Você vai ver que o sabor da beterraba quase desaparece… o que para alguns é uma pena.

Açúcar de beterraba é mais saudável?

Sabia que em boa parte dos países da Europa, o açúcar mais usado é o açúcar de beterraba? Pois, da beterraba também se extrai sacarose, mas é um só um tipo específico de beterraba, a beterraba-sacarina, ou beta vulgaris. Mas não se anima não, amigs. O açúcar de beterraba branco e refinando é 100% sacarose, e o gosto é praticamente o mesmo do açúcar de cana. Ou seja, não é uma opção mais saudável para “adoçar” a sua vida. Fica com o mel e o açúcar mascavo, que você fica melhor 😉

Como fazer suco com beterraba

A nossa versão do suco verde feita com beterraba foi carinhosamente chamada de suco pink! Dá uma olhada na receita:

Ingredientes
100ml de água de coco
½ laranja sem casca e semente – com bagaço
1 fatia de beterraba
½ maçã
Gotinhas de suco de limão siciliano a gosto
1 moeda de gengibre
1 colher de sopa de chia ou linhaça hidratada

Modo de preparo
Liquidificar todos os ingredientes e beber sem coar.

Beijos,
Carol

amor-em-camadas
Receitas

Almoço de dia das mães

Sabe por que não existe coisa mais gostosa do que comida de mãe? Porque comida de mãe é feita com amor. Mesmo com a correria cotidiana, o que tempera a comida feita pelas nossas mães é sempre o cuidado, e a intenção é sempre boa, mesmo que o prato do dia não seja um banquete. Até aquela misturinha do que sobrou de ontem fica boa, quando é mexida pela mão de quem nos ama.

E como o dia das mães vem aí, nada melhor do que retribuir tanto amor e cuidado com um almoço de dia das mães especial feito por você! Que tal? Para mim, não há presente melhor do que dedicar tempo cozinhando para quem a gente ama. E para te ajudar nessa missão deliciosa, vou dar uma sugestão de cardápio completo Para o almoço de dia das mães, escolhi um menu bem carinhoso e reconfortante. Vamos lá?!

ENTRADA

Salada Coração Marinado

amor marinado

Livro: Projeto Verão Pra Vida Toda © Carol Morais | Foto: Sergio Pagano

Ingredientes
1 pires de abobrinha fatiada
1 pires de Repolho branco fatiado
1 colher de sopa de tomatinho cereja
1 pires de Salada de cenoura refrescante
Amêndoas em lascas torradas

Modo de fazer:
Preparar a salada de cenoura refrescante. Deixar a abobrinha marinar em suco de limão com água, sal e manjericão. Intercalar na seguinte ordem:Abobrinha > Repolho > Tomatinhos > Salada de cenoura > Finalizar com as amêndoas. Rendimento: 1 porção

PRATO PRINCIPAL

Amor em Camadas

amor-em-camadas

Livro: Projeto Verão Pra Vida Toda © Carol Morais | Foto: Sergio Pagano

A receita de amor em camadas tem quatro etapas, mas nada complicado – ainda mais se comparado a tudo que a sua mãe fez por você 😉

1. Arroz integral

Ingredientes
½ xícara de arroz integral
1 dente de alho
1 ramo de alecrim
Sal a gosto

Modo de preparo
Deixar o arroz integral de molho em água por aproximadamente 2 horas. Descartar a água e lavar o arroz. Em uma panela levar ao fogo 1 xícara e meia de água com 1 ramo de alecrim e 1 dente de alho e deixar ferver até saborizar a água, retirar o alecrim e adicionar o arroz. Adicionar sal. Deixar cozinhar. Se necessário adicionar mais água.

2. Shitake salteado

¼ de cebola fatiada em pétalas
1 xícara de shitake
1 colher de sobremesa de manteiga clarificada ou azeite
Sal a gosto

Modo de preparo:
Picar os shitakes. Em uma frigideira dourar a cebola na manteiga e adicionar os shitakes, deixe eles murcharem e desligue o fogo. Ajustar o sal.

3. Purê de abóbora com limão siciliano

½ xícara de abóbora
1 colher de sopa de azeite
sal a gosto
raspinhas de limão siciliano

Modo de preparo:
Cozinhar a abóbora com água (pouca) e sal. Depois de cozida levar ao liquidificador ou usar o mixer e enquanto bate adicionar o azeite e as raspinhas de limão siciliano.

4. Brócolis alho e óleo

½ xícara de brócolis picado
1 dente de alho
1 colher de sobremesa de azeite
sal a gosto

Modo de preparo:
Doure o alho no azeite e depois adicione o brócolis até ele ficar al dente, ajuste o sal.

SOBREMESA

Carpaccio de Pêra

bxReceitas 5_4

Livro: Projeto Verão Pra Vida Toda © Carol Morais | Foto: Sergio Pagano

Ingredientes

1 pera (com casca e sem sementes) fatiada em lâminas finas.
1 colher de sopa de framboesa fresca ou congelada
Mel
Suco de limão siciliano
Hortelã

Modo de preparo

Após fatiar a pera, dispor no prato. Fazer um suco de framboesa, mel e suco de limão e hortelã. Regar a pera com o suco de framboesa, enfeitar com hortelã.

Rendimento: 1 porção

E não preciso nem dizer que tudo vai ficar mais saboroso se você usar ingredientes orgânicos e fresquinhos no preparo do seu almoço de dia das mães!

Beijos,
Carol

Captura-de-ecrã-2015-03-23-às-22.09.46
Dicas

Viajar além com os sabores do mundo

Esse projeto foi pensado e planejado para pessoas que entendem que a história do mundo passa pela boca e pelo estômago. Pois não seria a fome o primeiro motivador a fazer o homem se movimentar em busca de algo? Não é pela boca que a vida começa e se consolida? Não foi o alimento uma das primeiras moedas de troca do mundo?

Pois bem, é essa a ótica que escolhemos para desbravar o mundo. Um olhar que desvenda a história e a cultura através da comida e dos seus laços invisíveis e aromáticos entre tudo o que está em volta de nós. A idéia é abrir a boca e a alma para todos os sabores, aromas, cores e sensações que o mundo tem a oferecer.

Essa é uma proposta para quem quer viajar além. Experimentar o que não está nos guias de viagem. Ir além do cartão postal, aprofundando onde tudo começa ou termina, a cozinha, a culinária, a comida. Essa é uma oportunidade especial para quem consegue se imaginar, e principalmente tem curiosidade e disposição suficientes, para ir de bicicleta conhecer, plantar e colher em uma horta em uma aldeia no Vietnã. Inclusive achamos importante deixar claro que esse projeto é para quem veio ao mundo de bicicleta e não de caminhão. Para quem já entendeu que a melhor bagagem da vida é leve, é o conhecer, o saber, o aprender, e principalmente o saborear de cada lugar.

Se você consegue se imaginar aprendendo a preparar um tagine em meio a explosão de cores e aromas do Marrocos, então você faz parte da nossa turma. Aqui se fecha os olhos, para sonhar, e abre-se a boca para saborear.

Salivou? Brilhou os olhos?! Então seja bem vindo e deguste a viagem! Para fazer parte do nosso mailling e receber informações sobre os roteiros, escreva um email para falecomanutricionista@gmail.com.

E se quiser saber mais detalhes sobre o projeto, põe o dedo aqui!

Beijos,

Carol

viajar-além

pizza-couve-flor
Ingrediente da vez, Projeto Verão Pra Vida Toda, Receitas

Receita de massa de pizza de couve-flor

Outro dia vi essa receita de massa de pizza de couve-flor e fiz o teste para ter certeza que ficava bom antes de compartilhar com vocês. E sim, fica mais que bom, fica mais que maravilhoso!

Apenas queria deixar registrado que se trata de uma pizza com massa de couve-flor e farinha de amêndoas! Confesso que nunca achei que fosse substituir na boca a sensação de uma pizza com farinha. Mas posso dizer que estou absolutamente chocada! Eu usei como recheio queijo, sardinha e orégano. Mas vale tudo!!! Experimenta 😉

Receita da Pizza Margherita (a do vídeo)

1 couve-flor média (cerca de 750g )
1 xícara (100g) de farinha de amêndoa
2 ovos
1 colher de chá de orégano seco
1 colher de chá de manjericão seco
Sal e pimenta do reino moída

Recheio:
4 colheres de sopa de molho de tomate
3 ou 4 tomates cereja cortados
130 g de queijo muçarela ralado
Manjericão ou salsinha fresca picada
Pimenta do reino moída

Modo de preparo:

A “massa” da pizza é super fácil de fazer. Basta passar a couve-flor num processador e depois amassar sobre um papel vegetal numa assadeira e levar ao forno por cerca de 15 minutos a uma temperatura de 190ºC. Depois é preciso coar para tirar todo o líquido, aí vai sobrar mesmo só uma massinha. Aí você adiciona a amêndoa moída, o orégano, o manjericão, os dois ovos, sal e pimenta, e mistura tudo com um garfo, mas se quiser brincar de pizzaiolo pode meter a mão na massa!

Depois, é só colocar papel vegetal numa forma, colocar azeite sobre o papel, e espalhar a massa cobrindo todo o fundo da forma. Leva ao forno por mais 15 minutos a uma temperatura de 240ºC e pronto. A massa tá linda! Aí é só você usar a imaginação e o bom senso, rechear como quiser e se encantar :)

Se ficou com dúvida, é só ver o vídeo!

Beijos, Carol

go-ahead-its-gluten-free-1024x928
Dicas, Projeto Verão Pra Vida Toda

Você sabe ler o rótulo das embalagens?

Você lê o rótulo das embalagens dos produtos alimentícios? E se lê, entende? E se entende, confia?

Uma pesquisa realizada pelo IDEC – Instituto de Defesa do Consumidor, revelou que boa parte das pessoas que lêem os rótulos dos alimentos têm dificuldades em entender as informações nutricionais.

Sim, é muito importante ler o rótulo dos alimentos e ligar o radar! Mas nem sempre conseguimos entender toda aquela sopa de letrinhas… Então fica a dica: o mais importante no rótulo são os ingredientes e não aquela tabela que diz respeito à composição do alimento.

Preste atenção aos ingredientes, o que o que vier primeiro é sempre o que está em maior quantidade no produto. Se num rótulo de chocolate o que aparece primeiro é o açúcar, o segundo o leite e só então aparece o cacau, podemos concluir que não é chocolate coisa nenhuma, é quase um doce de leite achocolatado, né não?!

E aqueles nomes estranhos e siglas que nem imaginamos do que se trata? Pois é, o nosso corpo costuma reagir da mesma forma a esses aditivos, fica sem entender nada e pode acabar interpretando tudo como toxina. Ou seja, tudo aquilo que nosso corpo não identifica como nutriente ou composto aproveitável, bioativo, e não sabe como aproveitar…

E quem tem algum tipo de alergia alimentar, olho ainda mais vivo no rótulo! E vamos cobrar da indústria alimentícia responsabilidade para colocar no rótulo tudo o que contém no preparo da comida para podermos confiar naquilo que lemos!

rapadura
Ingrediente da vez, Projeto Verão Pra Vida Toda

Rapadura para adoçar, é mole!

adoçante

Quem tem um pezinho no nordeste (e quem é que não tem?) conhece bem essa maravilha e sabe que ela é usada para adoçar. A rapadura, ao contrário do que muita gente pensa, não é a mesma coisa que açúcar mascavo, mas é uma opção super saudável para quem precisa de um docinho na vida e já sabe que adoçante não é legal!

Curiosidades:

A rapadura é considerada um tipo de “açúcar orgânico”. Ela é o produto final da cana-de-açúcar após os processos de moagem, fervura do caldo, moldagem e secagem. Também tem alto valor nutritivo, com vitaminas, minerais e proteínas.

A rapadura é de origem açoriana, o Ceará é o maior produtor de rapadura do país, e uma empresa alemã registrou rapadura como nome da marca do produto…

Fica aí mais uma opção para usar no lugar do açúcar branco 😉

rapadura-rapunzel

Beijos,
Carol