Fale com a Nutricionista

|||

Six different fats on spatulas and spoons

Nada parece ser tão polêmico há tanto tempo como as gorduras (que saco! #freeGorduras). Atualmente, ainda bem, já sabemos que existem duas categorias delas: as que ajudam nosso corpo a funcionar melhor e, por isso, são INDISPENSÁVEIS, e aquelas que realmente não fazem bem.

Uma dúvida que ainda existe é se a margarina é realmente melhor que manteiga por ser de origem vegetal. A ciência tem dessas coisas, mas (ainda bem!) evolui por meio de pesquisas. O que era ótimo ontem, pode não ser amanhã. Veja os casos do ovo, do abacate e do próprio coco: antigamente condenados, hoje queridíssimos da nossa saúde.

Lendo uma revista que herdei da minha avó, de outubro de 1956, vejo a foto abaixo, com o texto que narra a visita de nutricionistas à fábrica de margarina e como elas ficaram impressionadas com o valor nutricional do produto. Provavelmente, se eu vivesse naquela época é possível que eu tivesse pensado o mesmo, diante das pesquisas.

Com o tempo, a manteiga foi sendo deixada de lado, cedendo seu espaço na mesa do café da manhã para a margarina que, por sua vez, ganhou o rótulo de alimento saudável, deixando para a primeira o estigma de vilã. Mas seria mesmo ela assim tão melhor? Falamos semana passada sobre alimentos falsamente saudáveis e o caminho vai mais ou menos por aí, viu?

Em alguns países o retorno a esquecida manteiga já foi anunciado. Uma amiga contou que já em 2008, quando ela vivia na Suíça, uma grande campanha feita pelos produtores de leite esclarecia a diferença entre as duas. As fotos geraram geraram polêmica pois mostravam que gente naturalmente bonita comia manteiga. Já quem comia margarina…. (veja as fotos e tire sua próprias conclusões!).

Qual a diferença entre manteiga e margarina?

E é por aí que gostaria de começar, falando dessa diferença fundamental entre as duas. Em resumo, a manteiga é de origem animal e feita da nata de leite batida. Ponto final. E a margarina? Bem, a margarina. Ela vai precisar de um parágrafo inteirinho para a explicação de como é produzida.

De origem vegetal, a margarina é resultado de um processo chamado hidrogenação. Nele, as moléculas de hidrogênio são incorporadas às de gordura de maneira artificial, em altas temperaturas. É o calor que transforma a gordura insaturada em parcialmente saturada. Também durante a hidrogenação, as moléculas de gordura viram gordura trans e saturadas. Sacou a diferença?

Manteiga ou margarina? Manteiga!

Em especial por causa das calorias (até quando vão perder a preciosa vida contando calorias?), e das gorduras saturadas, a coitada da manteiga ficou ali esquecida, no canto, pois supostamente engordaria e provocaria doenças cardíacas. Mas hoje ela começa a reconquistar seu espaço.  Sabe-se, por exemplo, que o consumo de gordura trans (da margarina) é nocivo, tanto que hoje é obrigatório (mas tem como burlar) ser identificado no rótulo. – e ele está na maioria das margarinas! (Para se ter ideia, a tal gordura é quase igual ao plástico!).

Já sobre a manteiga, descobriu-se que além do sabor e de ser um alimento (e não um produto alimentício, alô?!), ela contém muito mais que se imaginava. Passeando no blog da querida Pat Feldman podemos ver em alguns posts que a super deliciosa contém ácido burítico (bom para a saúde metabólica e intestinal, além de prevenir o câncer), vitamina A (antioxidante e facilitadora da digestão das proteínas) e ainda ajuda a prevenir a artrite e osteoporose, além de doenças na tiroide e outras. Ufa!

Só é preciso prestar atenção, porque como a maioria dos produtos industrializados, estão colocando aditivos que não são nada legais. Por isso, é sempre bom olhar os ingredientes. Além da manteiga, eu utilizo no meu dia a dia as seguintes fontes de gordura (boas): azeite extra virgem, óleo de coco e ghee (manteiga clarificada), além das frutas como abacate e coco, assim como as oleaginosas.

Mas como tudo na vida, vale o equilíbrio na hora de consumir, principalmente para quem segue algum tipo de dieta restritiva. O importante, acima de tudo, é pensar na origem do que se come. O seu projeto é verão pra vida toda, não é? Portanto, COMA COMIDA.

Beijinhos,
Carol!

Leia também » Como usar azeite de oliva.

Eu como manteiga. Eu não.

Nutris na fábrica de margarina: encantadas com o “valor nutricional”

Capa da revista Querida, herdada da minha avó

28 Comentários

  1. Sofia diz:

    Uma amiga que é do ramo das terapias naturais e alternativas uma vez me explicou que, para a medicina ayurvédica, a manteiga, em especial a clarificada, é, inclusive, considerada “ouro líquido”, um elixir da saúde.

    “Na Índia, o ghee é um produto de uso cotidiano, considerado sagrado e celebrado como símbolo de auspiciosidade, nutrição e cura sendo a gordura base da culinária indiana e importante remédio na Medicina Ayurvédica. É utilizado em diversas formulações medicinais e como óleo para massagem. Segundo a Ayurveda, o ghee estimula a produção de Ojas, base da imunidade e a essência de todos os tecidos do corpo, promovendo renovação física e mental; aumenta a inteligência, refina o intelecto e melhora a memória. Para os praticantes de yoga, o ghee serve como lubrificante natural das articulações, auxiliando na flexibilidade para a prática dos ásanas (posturas).” Fonte: http://www.saladeayurveda.com/2009/05/auspicioso-ghee-conhece.html

    • Maravilhoso mesmo Sofia, sou super fã. Obrigada por compartilhar. bjinhos

    • julio aguiar diz:

      O primeiro parágrafo concordo, mas o segundo é uma incoerencia se isso fosse verdade a india não seria o que é e não essa india das novelas da globo. Até o rato é Deus, ficam esperando a vaca urinar para passar no corpo e beber, meu Deus tomar esse país como exemplo é simplesmente espantoso…

      • OLá Júlio, concordo com vc, em vários aspectos a Índia é bem atrasada, mas a medicina ayurvédica está a nossa frente em alguns aspectos que merecem ser considerados. Obrigada pela contribuição. bjinhos Carol

        • Americo diz:

          Gordura trans é quase igual plástico?
          Medicina ayurvédica está a nossa frente em alguns aspectos que merecem ser considerados? Quais?

          Que doenças ela trata melhor que a medicina ocidental? Seria bom se a resposta acompanhasse artigos científicos para eu avaliar esses avanços.

  2. Carol diz:

    Ótimo post, Carol.
    Conheci seu blog recentemente e estou adorando o conteúdo dele. Parabéns pelo trabalho e pelo cuidado com que passa as informações. Este seu conceito de preferir alimentos a produtos alimentícios deveria ser adotado por todas as pessoas!
    Ainda não tive tempo para ler o blog inteiro, então, não vi se há alguma postagem relacionada ao óleo de coco, mas gostaria de saber a sua opinião sobre o mesmo, por que e se ele realmente é tão saudável, já que grande parte da sua composição é de gorduras saturadas.
    Agradeço desde já e aguardo o retorno.
    Abraço!

  3. Priscila diz:

    adorei o post Carol… e manteiga é tãooooo fácil de fazer ;) e se dá prá fazer, é comida
    bjs

  4. Ana Cristina de Araujo Gregorio diz:

    Carol, bom dia. Onde encontro essa Manteiga clarificada, ou tem que ser feita?

    Beijos

  5. Juliana diz:

    O ghee e o mesmo que manteiga de garrafa certo? Uma pena que na minha cidade não se encontra fácil =/. E pelo que li, voce nao costuma usar nenhum tipo de oleo vegetal (canola, girassol etc) ne carol?! Adorei o post. Bjinhos

  6. Nycolle diz:

    Carol! Virei uma #falecomanutricionistaadicted! Muito legal essa explicação quanto a mantega e a margarina (eca, pq eu nunca gostei mesmo) mas sempre tive medinho da manteiga, ficamos meio perdidos nessas informaçoes que nem sempre sao condizentes entre si! Mas agora vou adotar a manteiga sem sal!! E tentar encontrar essa outra que voce disse. Essa semana expliquei o conceito dos alimentos e produtos alimenticios para a minha mãe e ela ficou maravilhada, e no fim disse: essa é a mais pura verdade, gente tem que comer comida e nao coisa fabricada.
    Lindoooo

  7. sah diz:

    Carol, e no meu caso que nao como nada de origem animal. Manteiga fica fora do meu cardapio… Qual outra opção entao, já que pelo jeito a margarina nao é uma boa escolha???

  8. Isabella diz:

    Supernutri, quando eu defendo que manteiga é melhor que margarina, que, por sua vez, contém gordura trans, as pessoas me dizem que consomem a margarina que contém na embalagem 0% de gordura trans (que possui em várias), outras falam que a Becel não é margarina, é creme vegetal, portanto mais saudável. Isso tem algum fundamento?

    Bjosssss
    Bella

  9. Danielle Amorim diz:

    Carol,
    essa manteiga clarificada é a de garrafa? Aquela que achamos aqui no nordeste? Que acabamos sem usar achando que faz mal por ser gordissima (e saboroooosa?)
    Essa historia dos produtores da suiça fazerem campanha é pesado mesmo… estive la ha 3 anos e presenciei algumas açoes deles, tinha uma propaganda no aeroporto de zurich na epoca da copa com crianças com a camisa da seleção suiça enfileirados, e no final, era p ordenar uma vaca! Com os dizeres “leite faz bem”, algo assim kkkkk. Tenho uma foto c um cara vestido de vaca na estação central da mesma cidade, fazendo propaganda de um festival de sorvete a base de leite, e no zoo tinha um cartaz com uma vaca sentada sobre uma plantação de soja, tipo p mostrar o impacto do consumo desse vegetal, pode isso? E citavam o Brasil como um grande “culpado” kkk (tenho foto tb, se quiser,mando email).
    gostei do q disseram acima: se dá p fazer, é comida! Tenho pedido a minha nutri (aqui em natal) q cada vez mais retiremos os processados e industrializados da minha dieta, minha minha prox tentativa essa semana eh fazer pao de liquidificador sem gluten e sem lactose. Vamos deixar p comer os “prontinhos” qdo nao tiver jeito, ne?
    Obrigada pelas dicas aqui e pelo insta (sempre te aperreio por la, e vc sempre é solícita)

    • Danielle Amorim diz:

      *ordenHar kk

    • Olá Danielle, aqui no Brasil ela equivale a de garrafa sim. kkkkkk rindo muito imaginando a cena na Suíça, mas é isso, eles estão um pouquinho a nossa frente no quesito alimentação. Acho lindo o caminho que está buscando junto a sua nutri e tenho certeza que vc colherá todos os frutos em saúde do seu investimento. bjinhos

      • Danielle Amorim diz:

        Certamente estamos colhendo! Com a ajuda dela, do endocrino, e dos profissionais que colho dicas importantissimas diariamente na net (vc !) ja se foram 9kg! Com calma, p nao dar piripaque! kkk
        O mais dificil eh pq nao nunca fui de comer muito errado, ai p perder eh doooose!
        :*

  10. Ana Emília Andrade diz:

    Carol,
    estou encantada e agradecida por ter lhe encontrado.
    Sou médica sanitarista e estou preparando uma conversa com pais de alunos do ensino fudamental sobre Alimentação Saudável, aí achei você no google, mas é demais!!!!
    Obrigada por partilhar tão generosamente e deforma tão animada seus conhecimentos e as suas descobertas, sempre tão ética com a citação das fontes.
    Ganhei o dia!
    Muito obrigada.

    • Ana Emília, que mensagem linda! Fico imensamente feliz e grata em ver o seu reconhecimento. Essa é minha missão: empoderar as pessoas de conhecimentos e ferramentas para que elas possam seguir um novo estilo de vida. Obrigada. Obs: eu que ganhei o dia ;)

  11. vania guerra diz:

    Boa tarde
    Tenho uma filha nutricionista, e segundo ela, desde os primórdios esta polêmica existe. No meu caso, depois da menopausa ( estou com 55), meu colesterol vive “no limite”. Tenho intolerância, moderada, à lactose, faço exercícios físicos regulares,e por causa de uma colite crônica , (emocional), tenho uma alimentação saudável, não como frituras, nem carne vermelha.Ainda assim faço uso diário de medicamento para combater colesterol. Tenho 1,52 de altura e 47 quilos há anos. Ainda assim devo arriscar e comer manteiga? Será que não é perigoso generalizar.?
    Um abraço Vania

  12. Samanta diz:

    Adorei: coma comida! Resume tudo.

Deixe uma resposta


Política de Privacidade 2013 - Todos os direitos reservados © Fale com a nutricionista por Carol Morais