Fale com a Nutricionista

|||

porque-não-usar-microondas

Quem acompanha o blog já percebeu que, quando uso forno, é um elétrico, pequeno e simplesinho mesmo. Mais básico impossível, neah? Não uso o de microondas. Por dois motivos igualmente relevantes, para mim, claro. Primeiro, por causa do gosto que ele deixa da comida, já que sabor é essencial… rs. Segundo, porque ele faz mal, segundo apontam várias pesquisas.

Uma das constatações seria de que ele altera o funcionamento adequado da célula e aumenta o estresse oxidativo (leia-se envelhecimento). Além disso, haveria a perda dos nutrientes, por causa da vibração das moléculas durante a atuação das microondas. Também há estudos que indicam a formação de toxinas depois desse tipo de cozimento. Há ainda a possibilidade de contaminação da comida por radiação.

Como se não fosse pouca coisa, o Guia do Environmental Working Group, – entidade norte-americana que divulga informações sobre saúde pública – se posicionou contra o uso de vasilhas de plástico nesse tipo de forno. Isso porque toxinas cancerígenas podem vazar desse material e juntar-se à comida. (Na verdade, prefiro sempre recipientes de vidro pois os de plástico, mesmo em temperatura ambiente, podem passar para o alimento compostos maléficos à saúde e ao metabolismo, especialmente quando armazenam alimentos líquidos ácidos e gordurosos como por exemplo, molho de tomate ou mesmo café).

Motivos para não usar microondas:

Se você ainda não se convenceu aqui vai o trecho de um post da querida Pat Feldman sobre o mesmo assunto. O texto completo você lê aqui.

1. O organismo humano não é capaz de metabolizar os subprodutos ainda desconhecidos criados em alimentos aquecidos no microondas.

2. Os minerais, vitaminas e nutrientes de todo alimento aquecido em microondas são reduzidos ou alterados, de forma que nosso organismo receba muito pouco ou nenhum benefício desse alimentos ou, pior ainda, o corpo absorve compostos que não conseguem ser quebrados/digeridos apropriadamente.

3. Comer alimentos aquecidos em microondas frequentemente causa, a longo prazo, danos cerebrais permanentes, por conta do encurtamento dos impulsos elétricos no cérebro (despolariza ou desmagnetiza o tecido cerebral).

4. A produção de hormônios femininos e masculinos é diminuída ou alterada quando se come, com frequência, alimentos aquecidos em microondas.

5. Os efeitos do subproduto dos alimentos aquecidos em microondas são permanentes e ocorrem a longo prazo no organismo.

6. Os minerais das verduras aquecidas em microondas são alterados e se transformam em radicais livres cancerígenos.

7. Alimentos aquecidos em microondas causam câncer no inestino e no estômago. Isso pode explicar o rápido crescimento de casos de câncer de cólon nos últimos anos.

8. O consumo prolongado de alimentos aquecidos em microondas faz com que o número de células cancerosas no organismo aumente.

9. A ingestão contínua de alimentos aquecidos em microondas causa deficiências no sistema imunológico por conta de alterações na linfa e no sangue.

10. Consumir alimentos aquecidos em microondas causa perda de memória, concentração, instabilidade emocional e decréscimo da inteligência.

Trechos de um artigo de Anthony Wayne e Lawrence Newell

Na dúvida: use o velho e bom forno elétrico ou a gás.

Na dúvida: use o velho e bom forno elétrico ou a gás.

 

37 Comentários

  1. Ana Paula disse:

    Oi, Carol. Tudo bem? Você tem alguma opinião sobre aquelas máquinas que dizem fritar sem óleo? Sabe de alguma pesquisa que aponte se elas são seguras para a saúde? Beijos e obrigada!

  2. José Antonio Tadeu Machado Vieira. disse:

    Aquí em casa usamos o microondas para aquecer o leite do café da manhã. Eventualmente para aquecer alguma comida que se guarda no refrigerador. Gostaria de saber se mesmo assim estamos sujeitos aos riscos causados pelo aquecimento no microondas?

    • Carol Morais disse:

      Boa tarde, José! Eu prefiro, sempre, usar o fogão nesse caso. Obrigada.

    • mauro disse:

      As microondas são um tipo de energia radiante e, assim como as ondas de rádio, a luz visível, o infra-vermelho e a eletricidade, fazem parte do espectro eletromagnético, ou seja, são uma forma de radiação eletromagnética. São classificadas como radiação não-ionizante, pois, diferentemente dos raios-X e dos raios Alfa, Beta e Gama, seus efeitos são estritamente térmicos e, portanto, não alteram a estrutura molecular do item que está sendo irradiado. cuidado com os exageros! O uso que dá ao microondas por pouco tempo não causa risco algum. Não recomendo potências elevadas acima de 5minutos. É evidente que o forno micrrondas altera a química dos aimentos da mesma forma que vc cozinha o ovo na agua fervente por condução, algumas proteínas (quase 100%) são desagregadas e nem por isso perdem todo seu valor nutritivo. Faça uso moderado e se puder coloque o aparelho em outro ambiente, assim o risco cai a zero.

  3. Kelly disse:

    Carol, parece que você escreveu isso pra mim! haha desde que comecei a morar sozinha passei a usar muito mais o microondas e ando fazendo quase tudo nele, por ser mais rápido, mas ultimamente eu sempre parava pensando nisso: quais os malefícios que ele pode me trazer…teu texto veio em boa hora, vou deixar a preguiça de lado e retornar ao forninho! kkk aproveitando que vou deixar esse comentário aqui, queria só contar que tu foi uma das minhas inspirações pra escolher fazer o curso de nutrição! hehe amo sua paixão pela comida e pelo que faz! Espero um dia ser uma ótima profissional como você :D
    beijãao

  4. Mariana Andrade disse:

    Oi, Carol. Também sou nutricionista e há algum tempo tenho procurado artigos científicos com informações relacionadas ao uso de micro-ondas. Você tem algo que possa me enviar?
    Obrigada!

  5. Jessica disse:

    OLa Carol,

    Bem na verdade nao é bem assim, esse tipo de posto deveria ser embasado por cientistas da area. Desculpe-me mas vc. é nutricionista e nao tem embasamento cientifico para fazer esse tipo de afirmaçao. Meu marido é PHD em fisica pela universidada da Suecia e tem uma opiniao completamente diferente do que foi postado…

    • Carol Morais disse:

      Olá, Jessica. O post foi baseado em estudos feitos por pesquisadores. Mas – e, principalmente, recente! – informação é bem vinda. Se você me puder encaminhar o material que você menciona. Obrigada. ;)

    • Toni Almeida disse:

      Jéssica, seguindo o seu raciocínio nesta questão desculpe-me, mas então o seu marido deveria ter formação na área de alimentos para poder emitir uma opinião, pois a formação dele não fornece subsídios para embasar uma opinião a respeito de alimentação saudável e a questão aqui é tanto de uma área quanto da outra, envolvendo ainda outras áreas. As inúmeras pesquisas que existem a este respeito são feitas por cientistas de diversas áreas, são suficientemente conclusivas e demonstram com clareza esta tese.

    • mauro disse:

      Concordo com vc Jessica, Existe muito alarmismo e exageros… As microondas são um tipo de energia radiante e, assim como as ondas de rádio, a luz visível, o infra-vermelho e a eletricidade, fazem parte do espectro eletromagnético, ou seja, são uma forma de radiação eletromagnética. São classificadas como radiação não-ionizante, pois, diferentemente dos raios-X e dos raios Alfa, Beta e Gama, seus efeitos são estritamente térmicos e, portanto, não alteram a estrutura molecular do item que está sendo irradiado. Muito se fala em pesquisas… elas existem mas não são conclusivas… então Cuidado com os exageros! A questão é a qualidade dos aparelhos e neste caso não dá pra por a mão no fogo! quanto mais no forno!

      abç.:.

    • Josue disse:

      Concordo com você Jessica !Se as pessoas estudarem física e química (conceitos e aplicações) pensariam 2 vezes antes de opinar sobre microondas. Apenas penso que para emitir opinião, a pessoa deve basear-se em fatos e não apenas no que se “acha” sobre determinado assunto de forma meramente filosófica…
      Estudo de ondas, química quântica e aplicação de energia rotacional seria um bom começo pra entender o que acontece no microondas…

    • viviane disse:

      Para que vc quer, base científica, se eles escondem tudo o que informa as pessoas a respeito dos males, o plano deles é que a humanidade crie doenças e assim sejam exterminadas.

  6. Lorena Nascimento Dias disse:

    olá carol! Faz mais ou menos uns 10 anos e assisti a uma palestra de um médico ortomolecular que já falava sobre isso… nunca gostei muito de microondas mais meu marido, que é quem cozinha qaui em casa, usa de vez em quando para descongelar carnes, etc… Eu lí para ele o post e ele queria saber se o uso eventual ainda assim traz malefícios. Tentei explicar a ele que o que importa não é a quantidade.. Estou certa?
    Abraços e obrigada!

    Lorena e Andrés

  7. Larissa Kussano disse:

    História verídica: estava eu lavando louça e pedindo para meu marido tirar os jilós da geladeira para fazer chips no forno quando pensei: “acho que a receita está no blog da Carol. Mas será que é no forno ou no microondas? O que será que ela pensa sobre o microondas?”. E comecei a pensar nisso porque minha mãe não tem microondas e quando casei fiz questão de também não ter! E ao entrar no site dou de cara com este post! Que bom que compartilhamos do mesmo pensamento. Agora vou procurar o chips de jiló! Beijos!

    • Carol Morais disse:

      Jura? Que máximo!!! Adorei.
      Beijos!

      • mauro disse:

        olá carol, desculpe o post, mas fiquei intrigado com esta página de assunto forno microondas… acho que vc postou alguns exageros, e vc mesmo pode verificar se fizer uma pesquisa mais apurada. Não vou comentar todos, apenas um para enfatizar.Quando vc coloca: “Os minerais, vitaminas e nutrientes de todo alimento aquecido em microondas são reduzidos ou alterados, de forma que nosso organismo receba muito pouco ou nenhum benefício desse alimentos ou, pior ainda, o corpo absorve compostos que não conseguem ser quebrados/digeridos apropriadamente.” Não está correto; veja o que se pode afirmar é que Vitaminas, proteínas e nutientes de todo alimento aquecido são reduzidos ou alterados…. Não importa o meio de aquecimento! Apenas o indireto (banho maria é o menos prejudicial) mas qualquer outro causa os mesmos danos! Repare que retirei os minerais que estavam no texto, isto porque as microondas são um tipo de energia radiante e, assim como as ondas de rádio, a luz visível, o infra-vermelho e a eletricidade, fazem parte do espectro eletromagnético, ou seja, são uma forma de radiação eletromagnética. São classificadas como radiação não-ionizante, pois, diferentemente dos raios-X e dos raios Alfa, Beta e Gama, seus efeitos são estritamente térmicos e, portanto, não alteram a estrutura molecular do item que está sendo irradiado. abç.:. moderação no uso é que seria equilibrado e recomendável!

        • Marcia disse:

          Que bom ver teu comentário Mauro, estava lendo e também achei um exagero as colocações dela. Afinal tudo tem o meio termo e se formos levar ao pé da letra a quantidade de estudos e colocações na internet vamos ficar sem comer, sem beber, sem respirar porque tudo, de certa forma faz algum mal, normalmente os excessos. Até agua , que é a fonte da vida pode matar….kkkk
          Então….a vida ta aí seguindo e pessoas vivendo cada dia mais, apesar das coisas consideradas ruins pra saúde. Tudo na ciencia, uma hora é vilão e depois vira o salvador…o negócio é “tentar” se alimentar da forma mais natural possível e se não der….simplesmente….se alimentar…comer, beber, ter boa higiêne, encontrar fontes de prazer e principalmente…estar de bem consigo mesmo e com os outros também.

          abraço!

  8. Marcia disse:

    Lenda?

    Recipientes plásticos no forno de microondas liberam dioxinas cancerígenas?

    A mensagem emite um alerta sobre o perigo de aquecer alimentos no forno de microondas usando recipientes plásticos. Quem falou desses riscos foi o Dr. Edward Fujimoto, do Hospital Castle, no Canal 2 “esta manhã”. Para uma das versões da mensagem, “esta manhã” ocorreu no dia 21 de maio de 2002. Outra versão atribui o “esta manhã” a 21 de junho também de 2002.

    Antes de verificar os fundamentos científicos da assertiva vamos saber da origem da mensagem, da assinatura, da recomendação final (Passe a seus familiares e amigos.) e da segunda frase da mensagem:

    No canal 2 esta manhã, apresentou-se o Dr. Edward Fujimoto, do Hospital Castle…

    Segundo a assinatura, a mensagem vem do IRD – Instituto de Radioproteção e Dosimetria e quem atesta os perigos é o Físico Médico Alfredo Viamonte Marin. Como o IRD fica na cidade do Rio de Janeiro, a primeira impressão é que aí também ficam o Hospital Castle, onde trabalha o Dr. Edward Fujimoto, e o Canal 2. Mas não é bem assim.

    De qualquer forma, vamos visitar o IRD – Instituto de Radioproteção e Dosimetria. Em http://www.ird.gov.br/ird.htm vemos que

    O Instituto de Radioproteção e Dosimetria, IRD, criado em 1972, é um dos institutos da Comissão Nacional de Energia Nuclear, CNEN, e está subordinado à Diretoria de Radioproteção e Segurança Nuclear (DRS).

    Tem como objetivo atuar como um Centro de Referência Nacional nas áreas de radioproteção e metrologia das radiações ionizantes e fiscalizar as condições de uso de fontes radioativas e emissores de radiação ionizante na indústria, medicina, centrais elétricas e outros campos da atividade humana, visando à proteção do trabalhador, paciente e público em geral.

    Já que estamos no sítio do IRD, vamos procurar o Físico Médico Alfredo Viamonte Marin. Na página de Busca no site, preenchemos o quadro com o nome “Alfredo Viamonte Marin”.

    Resultado:

    You searched for “Alfredo Viamonte Marin”.

    No pages matched your search.

    Primeira decepção: ele não está. Talvez ele tenha dado uma saidinha e, como se trata de pesquisador de uma instituição renomada, talvez seja possível encontrá-lo através do Google.

    Dois dos três resultados apresentados aos termos de busca “Alfredo Viamonte Marin”são reproduções da mesma mensagem e o terceiro é o artigo intitulado Administered Activity Optimization in Skeletal Scanning using MDP labeled 99Tcm.

    São a mesma pessoa? É muito provável.

    Em junho de 2002, encaminhamos a mensagem ao IRD solicitando informações “…quanto à veracidade dos fatos descritos bem como quanto à existência do Físico Médico Alfredo Viamonte Marin nos quadros desse Instituto.”

    Recebemos a seguinte resposta:

    Prezado Senhor,

    sua mensagem já foi encaminhada para as autoridades competentes, aguarde pronunciamento.

    Gratos

    IRD/CNEN/MCT

    Continuamos no aguardo (fevereiro de 2007).

    A segunda frase da mensagem de alerta é típica das lendas. É imprecisa quanto à data (esta manhã) e quanto à emissora (Canal 2). São muitas as emissoras de televisão que usam essa freqüência e, como não se informa a cidade, fica impossível identificá-la.

    A última frase acrescenta mais um ponto de suspeita: Passe a seus familiares e amigos.

    Por enquanto, o placar é três a um. A pessoa não pôde ser encontrada no IRD, a frase final é típica das lendas, as informações sobre a emissora de TV e a data são imprecisas. Mas a pessoa que assina a mensagem é co-autora de um trabalho científico.

    É um placar provisório, mas pode ser um indicador do resultado final.

    Continuemos.

    Sim, mas onde fica o Hospital Castle no qual trabalha o Dr. Edward Fujimoto? Fica no Rio de Janeiro?

    Segundo Microwave Issues, o Dr. Edward Fujimoto trabalha no Hospital Castle (Castle Medical Center) que fica em Kailua no Havaí e, no dia 23 de janeiro de 2002, deu uma entrevista ao Canal 2 sobre o assunto. Canal 2 (KHON-TV) do Havaí, of course.

    O Dr. Edward Fujimoto existe? Ora, se se ele deu uma entrevista ao canal 2, é porque ele existe ;)

    Ao pesquisar o nome “Fujimoto” na página FIND A DOCTOR ONLINE do Castle Medical Center obtivemos a resposta:

    Sorry, there are no matches for your exact preferences.

    Curioso: o Dr. Edward Fujimotoé do Hospital Castle, mas não pode ser encontrado no sítio desse hospital.

    Vamos, agora, saber da essência da mensagem: usar embalagem plástica como recipiente para aquecer alimentos no forno de microondas libera dioxinas e provoca câncer?

    Dizem os especialistas, que as dioxinas formam uma família constituída de 210 compostos dos quais 17 são considerados tóxicos e virtualmente não biodegradáveis. (1) A principal forma de absorção de dioxinas pelo organismo humano é através do consumo de gordura.

    Segundo Jean Weese (food scientist do Alabama Cooperative Extension System) citado em (2):

    É verdade que dioxinas são produzidas pela queima de plásticos, especialmente PVC, mas não tenho conhecimento de estudos científicos comprovando que dioxinas são formadas em decorrência do aquecimento de plásticos em forno de microondas.

    A mensagem de alerta também foi analisada por TruthOr Fiction.com que afirma o seguinte:

    TruthOrFiction.com solicitou, por duas vezes, ao Dr. Edward Fujimoto que enviasse as pesquisas nas quais ele baseou as assertivas sobre o perigo da dioxina liberada no forno de microondas, mas jamais recebeu resposta.

    Em outro artigo, intitulado Perilous Plastic?, Nada Mangialetti afirma:

    Quando lhe foi perguntado [ao Dr. Edward Fujimoto] quem fez as medições da quantidade de dioxina, ou de outra substância, presente em diferentes alimentos e em diferentes tipos de plástico antes e depois de serem levados ao forno de microondas ele disse: “Eu acho que alguém deve ter feito alguma coisa. Mas eu não vi.”

    Conclusão: é verdade que algumas dioxinas são substâncias cancerígenas, mas não existe comprovação científica de …que a combinação de gordura, alta temperatura e plástico, contamina o alimento com dioxina, que será liberada nas células do nosso corpo.

    Cautela e caldo de galinha nunca fizeram mal a ninguém, diz o ditado. Talvez uma boa idéia seja seguir o conselho da doutora Nada Mangialetti. Diz ela (tradução livre):

    Use o bom senso.

    Não leve ao microondas alimentos em embalagens plásticas que não tenham sido fabricadas com a finalidade de serem usadas em forno de microondas. Use apenas embalagens que contenham o aviso dizendo que podem ser usadas neles. Em caso de dúvida, use recipientes de cerâmica ou de vidro.

    Se você decidir evitar, até mesmo, o uso de recipientes plásticos especialmente fabricados para uso em microondas, lembre-se de que você faz isso por uma questão pessoal ou de desencargo de consciência e não por uma razão científica.

    Enquanto isso, nós outros continuaremos a gozar a conveniência dos recipientes plásticos passíveis de uso em fornos de microondas até que surja alguma prova científica que desautorize esse uso.

    http://www.quatrocantos.com/lendas/94_dioxina_microondas.htm

  9. thewall disse:

    Vamos aos sites que tratam oficialmente do assunto:
    http://www.cancerresearchuk.org/cancer-help/about-cancer/cancer-questions/radiation-microwaves-and-cancer
    ou
    http://www.arpansa.gov.au/radiationprotection/basics/ion_nonion.cfm
    ou ainda,
    http://www.mundoeducacao.com/curiosidades/microondas-mitos-verdades.htm
    e também;
    http://saberviver.org.br/publicacoes/o-microondas-faz-mal-a-saude/

    http://www.proteste.org.br/eletrodomesticos/micro-ondas/noticia/mitos-e-verdades-sobre-o-microondas

    Quanto ao sabor… As principais comidas que faço, uso o fogão. Mas arroz, ovos cozidos, omeletes, café solúvel, brigadeiro, pudim, água quente e muitos outros, só no microondas. E posso garantir, ficam TODOS muito saborosos.
    O forninho elétrico? Aja dinheiro para pagar a conta de luz. No mais, boa sorte e um abraço!

  10. thewall disse:

    Não é falando de seu site apenas, mas se até do que entendemos, devemos conferir antes de acreditar…
    O que dizer então de algo que trata de saúde!!!???
    Recebi a dica de seu texto de minha namorada. Li, assustado com suas afirmações, pois, há 20 anos uso microondas, e sempre tive o cuidado de saber se era maléfico ou não seu uso. E nunca, nunca li nada sério que condenasse as tais microondas!

  11. Speck Neto disse:

    É tudinho Paranoia Filosófica Nutricional!
    Qualquer radiotécnico ( classe em extinção no Brasil ), sabe que, a molécula de água é a única a desempenhar um papel na liberação de calor, graças a sua dimensão. É a única que é bipolar e que pode girar graças à sua pequena dimensão.
    O maior risco relativo ao forno micro-ondas, seria o vazamento de rádio frequência através da porta, quando desajustada.
    Uma dica prática: Quando fechar a porta do micro-ondas, observe que, ela esteja bem firme e sem folgas pelas suas laterais.

  12. vera lucia disse:

    Estou passando por momentos dificieis,como?com uma inflamação intestinal já tomei vários medicamentos,já fiz video-colonoscopia duas vezes e biopsia do intestino modifiquei toda minha alimentação estou comendo2,0 de gordura;como o problema não melhorou decidi por mim mesma parar de usar o microondas,que bom faz tres dias que o problema melhorou 80% já não tenho os sintomas que tinha antes.Sabendo dessas informações me deu mais força para eu não usar o microondas; adeus microondas.gostei muito das informações.

  13. Felipe disse:

    ” segundo apontam várias pesquisas.”
    Bem vago , superficial e sensacionalista… Fontes por favor…
    Porque se tudo tudo isso fosse realmente verdade, o forno de microondas já estaria banido do mercado

    • Carol Morais disse:

      pois é… um exemplo disso é o cigarro, que já foi banido do mercado há muito tempo! Mas sim, é verdade, a cada dia novas descobertas são feitas, um dia algo faz mal, no outro faz bem. Vamos ver o que o tempo nos dirá!

      • Reginaldo disse:

        …vejam também como nossas autoridades estão “Super Preocupadas com o bem estar da população”: -Alimentos com agrotóxicos(em nossa frente – todo dia, isto é, em nossa mesa; -Drogas sendo vendidas livremente(cachaça e bebidas pesadas diversas, etc); Fumaças dos carros desregulados a nossa vista todo dia; e vamos ficar por aqui.

  14. Barreto disse:

    Carol Morais, já conheço de muito tempo estas informações, do quanto é danoso para o nosso organismo, viver usando o forno de miroondas.

    Já trabalhei na área de telecomunicações, e sei o quanto irradiações eletromagnéticas podem prejudicar a nossa saúde, afetando células, causando infertilidade, impotência, e etc… e causar até o câncer, e que também tem tudo a ver com o microondas.

    Lembrem-se que quando você esquece qualquer coisa metálica dentro do microondas e liga, há todo um centelhamento, chamado de “arco voltaico”, que é pura energia irradiada lá dentro, e que também vaza para fora. Quem bem souber, não fica próximo ao microondas quando ele está ligado. A grandessíssima maioria dos microondas não estão com o fia terra ligados a um sistema de aterramento, o que é um erro.

    Justamente por dar lucro a muitos setores produtivos, e arrecadar impostos exorbitantes para o governo, e pela desenfreada CORRUPÇÃO, existe toda uma omissão e vista grossa para muita coisa que faz mal a nossa saúde, onde tentam até desacreditar e confundir estudos científicos a esse respeito.

    Eis mais um link com diversas informações sobre esses danos, baseados em estudos científicos: http://www.ecolnews.com.br/microondas.htm .

    Parabéns pelo Post!

  15. Rodrigo Araújo disse:

    olá Carol Morais. O seu texto apresenta verdades e mentiras com relação aos supostos riscos que o uso do microondas pode trazer. Pra ser sincero acho que o texto tem mais intenção de assustar do que informar. É um absurdo, por exemplo, dizer que comer alimentos aquecidos em microondas, geram falha de memória, “instabilidade emocional”, danos permanentes no cérebro ou perda de inteligência. Porém o maior absurdo de todos e afirmar que a comida (aquecida em microondas) estaria contaminada por radiação!! Mas que absurdo sem fundamento. Você é nutricionista, e não física. O microondas produz ondas eletromagnéticas que quando irradiam o alimento, agitam as moléculas de água desse alimento, dessa forma aquecendo-o. A frequencia de onda do microondas é inferior à da radiação infravermelho, por exemplo, e a energia portanto é baixa. A radiação eletromagnética não é ionizante e portanto não é mutagênica. Ondas eletromagnéticas do microondas são completamente inofensivas pois a energia é baixa demais para causar qualquer dano. O máximo que pode acontecer é queimar o dedo na hora de pegar o chocolate quente. RADIOATIVIDADE E RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA são radiações completamente diferentes; seus efeitos no organismo também. No tocante aos efeitos no organismo, vejo que seu texto embora menciona algumas “fontes científicas”, não argumenta com lógica cientifica. Cadê essas fontes? Não gosto de pessoas manipulando informações e propagando mentiras, o imaginário do senso comum já é fértil demais… Obviamente o você acertou quando falou do plástico, nunca se deve aquecer alimentos nele, por causa do bisfenol-A, dioxina, e outros venenos que acabam migrando para o alimento… Mas no geral, seus argumentos são decepcionantes.

  16. Carol, parabéns pelo site. Infelizmente há muita informação e desinformação, ao mesmo tempo, sobre esse tipo de assunto. O pessoal do meio acadêmico “filosoficamente” eu diria, acredita numa Ciência imparcial, idônea, sem qualquer vínculo com interesses políticos, governamentais e principalmente industriais e econômicos. Sempre que surge alguma pesquisa científica séria fazendo denúncias sobre algo que prejudica a nossa saúde, por exemplo, surgem novas pesquisas “patrocinadas” que tentam confundir ou refutar as descobertas. Acesse por favor ao site http://www.nossofuturoroubado.com.br/portal/. Lá existe um compêndio de informações fundamentais embasadas somente em artigos científicos nacionais e internacionais que foram colocados a disposição para nós. Um abraço. Volnei F. Pereira – Químico – Pós- Graduado em Toxicologia Aplicada.

Deixe uma resposta


Política de Privacidade 2013 - Todos os direitos reservados © Fale com a nutricionista por Carol Morais