Browsing Tag

livro

Dicas, Receitas

Dica de livro: "Comer é um sentimento"

Esse livro já é meio antiguinho, mas é um dos meus preferidos para toda a vida. Sempre pego ele e dou uma lida nos sublinhados, ele tem o poder de me transportar para outro padrão de pensamento com relação a comida. Um pensamento leve, porém coerente e respeitoso com relação a nós mesmos, nossa alimentação e nossa saúde.

Apesar de o autor (François Simon) ser um crítico gastronômico francês dos mais temidos na França, consegue deixar de lado a fama de mau e passar de maneira deliciosa (literalmente, porque inclui também algumas receitas), uma reflexão sobre a nossa relação com a comida.

A proposta do livro é tentar “reestabelecer o contato com sua realidade pessoal, procurando escutar seu próprio corpo e suas emoções. Fazer uma refeição, nessa perspectiva, não pode se limitar a alimentar o corpo, nem a reservar o prazer proporcionado pela comida, a ambientes e serviços que não fazem parte de nosso cotidiano“, “numa era em que regimes e silhuetas anórexicas coexistem com excessos alimentares, qual o papel da comida no cotidiano das pessoas?”.

O autor convida o leitor a vivenciar uma nova maneira de comer, na prática, com conselhos e receitas, bem ao modo francês, cheio de prazer, creme de leite e manteiga, mas também tem receitas saudáveis como a que postarei logo mais de um creme de lentilhas coral com cenoura.

Esse é o tipo de livro que eu gostaria de ter escrito (do alto da minha modéstia rsrsrs), quanto mais leio e releio, mais me deleito com as idéias, a filosofia, as receitas… Abaixo alguns trechos, na impossibilidade de citar o livro todo:

“Antigamente cavávamos nosso túmulo com os dentes, agora lambemos a própria lápide ao longo da vida. Esses estranhos rituais de enfurecidos mastigando ao contrário são articulados como uma sutil redenção paga por meio de gorduras localizadas, barriga, obesidade, diabetes e outras torturas internas”.

“Comer bem  não é complicado. Grosso modo, paramos quando a fome acaba e sentamos à mesa quando o estômago nos dá um pequeno pontapé. Em seguida, escolhemos o que gostamos e ponto final… Mas, antes disso é necessário saber construir a casa. Recomeçar desde o início, no café da manhã. E depois revisar tudo calmamente, com muita ternura e gentileza. Sentar-se, beber, dormir, amar quem está próximo de nós… Basta ter um pouco de paciência, de doçura e ironia para com as coisas da vida”.

“Hoje, remixamos  o mingau com palavras mais decididas, mais atuais. Bouffer (na França é sinônimo de comer), por exemplo , etimologicamente, quer dizer “engolir raiva”. A partir daí, certamente é mais fácil entender o enredo”.

“Cada um de nós tem um continente adormecido no estômago… Procure bem, logo encontrará sua própria ilha”.

Adoro o capítulo que se chama: “Pequenas dicas para os arremessadores de peso e as libélulas”, em que o autor dá diquinhas para uso das “libélulas”, coisas do tipo:

– “coma somente quando tiver com fome”;

– “se estiver com muita fome, alimente-se de legumes secos e verdes que não tenham restrições”;

– “pelo menos uma vez a cada hora, respire fundo…”;

– “todo dia, evite pelo menos uma vez o elevador e suba a pé”;

– “confie no seu bom senso”;

-“se não conseguir, marque uma consulta com um nutricionista…”

Dentre outras, uma mais interessante e aplicável que a outra…

Bom esse post já está ficando longo demais, e a vontade é continuar por muitos caracteres, no desejo de passar um pouco para você do sentimento que esse livro me transmite, sobre o prazer de saber viver comendo… Vontade de comprar pelo menos uns 50 exemplares agora e sair distribuindo para os amigos e pacientes…

Amanhã posto a receita da sopa de lentilhas com cenoura…

Bjinhos, Carol